Mendonça desconversa sobre STF e diz que escolhido ‘será um grande ministro’

Atual advogado-geral da União, Mendonça foi vacinado contra a Covid-19 na manhã desta segunda-feira (5) e evitou comentários sobre vaga de Marco Aurélio

Gabrielle Varela e Teo Cury, da CNN, em Brasília

Ouvir notícia

O ministro da Advocacia-Geral da União (AGU), André Mendonça, desconversou nesta segunda-feira (5) ao ser questionado pela CNN sobre uma eventual indicação para assumir a vaga de Marco Aurélio Mello no Supremo Tribunal Federal (STF). 

Para o ministro, no entanto, o escolhido pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) “certamente será um grande ministro”. Mendonça conversou com jornalistas pouco antes de ser vacinado pelo Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, contra a Covid-19 em um posto de saúde no Guará, região administrativa do Distrito Federal. 

Ele estava acompanhado dos ministros Tarcísio de Freitas, da Infraestrutura, e Jorge Oliveira, do Tribunal de Contas da União – que já foi cotado para uma vaga no STF.

Mendonça foi questionado sobre se uma eventual indicação de seu nome seria tratada na reunião com Bolsonaro, marcada para 10h. O ministro respondeu que o encontro com o presidente é comum e que se tratava de um “despacho semanal”.

Marco Aurélio, ministro mais antigo em atividade, deixa o STF no dia 12 de julho, quando completa 75 anos – idade máxima de permanência na Corte.

No início de junho, o presidente do STF, ministro Luiz Fux, recebeu Bolsonaro para uma reunião no tribunal. No encontro, que durou 20 minutos, pediu que o presidente, por cortesia, esperasse a aposentadoria de Marco Aurélio antes de anunciar seu sucessor.

O pedido foi feito por Fux tendo em vista o que aconteceu na primeira indicação feita por Bolsonaro no ano passado.

Doze dias antes de Celso de Mello se aposentar, o presidente anunciou que indicaria o então desembargador do Tribunal Regional Federal da Primeira Região Kassio Nunes Marques para o lugar do decano. A antecipação do anúncio não foi bem-vista internamente.

André Mendonça
André Mendonça, atual advogado-geral da União
Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

Questionado sobre se Bolsonaro o indicaria na próxima semana, acolhendo o pedido de Fux, Mendonça disse que não havia expectativas e que cabe ao presidente tomar a decisão sobre quem indicar. “Não tem expectativa não. Sem expectativa. Não perguntei a ele [Bolsonaro]. É uma decisão dele. No tempo dele, ele vai tomar a decisão e a melhor decisão que ele entender”, afirmou.

A reportagem mencionou ao ministro a torcida anunciada pelo próprio Marco Aurélio em seu discurso de despedida, após 31 anos na Corte. “E o doutor [Augusto] Aras [procurador-geral da República] também. Mas certamente será um grande ministro, quem quer que seja escolhido”, afirmou. Aras também é cotado para uma vaga no tribunal, apesar do favoritismo de Mendonça.

Na semana passada, durante solenidade de despedida, Marco Aurélio agradeceu as homenagens prestadas por Mendonça e Aras e anunciou a torcida pelo nome dos dois.

“Agradeço a presença, com palavras muito amáveis, do doutor André Mendonça, que tem a minha torcida para substituir-me no Supremo”, declarou.

“O que disse em relação ao doutor André, falo quanto ao doutor Augusto Aras. Seria uma honra para mim muito grande vê-lo ocupando a cadeira que deixo no Supremo”, concluiu Marco Aurélio.

Mais Recentes da CNN