Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Após deixar União Brasil, Waguinho vai ao Planalto falar sobre futuro de esposa, ministra do Turismo

    Governo tem receio que Daniela Carneiro também saia da sigla e isso impacte a relação entre administração federal e partido

    Funcionário trabalha na limpeza da fachada do Palácio do Planalto, em Brasília
    Funcionário trabalha na limpeza da fachada do Palácio do Planalto, em Brasília Pablo Valadares/Estadão Conteúdo - 12.dez.2007

    Larissa RodriguesEduardo Hahonda CNN

    em Brasília

    O prefeito de Belford Roxo (RJ), Wagner dos Santos Carneiro, conhecido como Waguinho, esteve no Palácio do Planalto no início da noite desta terça-feira (11). A informação foi confirmada por fontes do governo federal à reportagem da CNN.

    Waguinho se reuniu com André Ceciliano (PT-RJ), secretário especial de Assuntos Federativos da Secretaria de Relações Institucionais do governo, responsável pala articulação política do Planalto com prefeitos e governadores.

    Os dois são próximos, e teria partido de Ceciliano a aproximação de Waguinho com o então candidato à Presidência Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

    Fontes relataram à reportagem que, durante a conversa, Ceciliano teria demonstrado preocupação com a possibilidade de a ministra do Turismo, Daniela Carneiro, deixar o União Brasil, e como tal decisão poderia complicar ainda mais a relação do Planalto com o partido comandando por Luciano Bivar.

    Waguinho, que é marido de Carneiro, deixou o partido nesta segunda-feira (10).

    Disputa no estado e receio no governo

    Nesta segunda-feira (10), o prefeito de Belford Roxo (RJ) e marido da ministra do Turismo, Daniela Carneiro, deixou o União Brasil e se filiou ao Republicanos. Na nova sigla, ele irá assumir o diretório estadual do Rio de Janeiro.

    Nesta terça-feira (11), Daniela Carneiro, junto de outros parlamentares da bancada do Rio de Janeiro do União Brasil, apresentaram uma ação ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pedindo a liberação para se desfiliarem do partido.

    A reportagem apurou junto a integrantes da sigla que a debandada é parte de uma briga pelo controle do diretório estadual. A situação teria se agravado diante de movimento do presidente nacional do partido, Luciano Bivar, de aproximação de adversários políticos da família Carneiro.

    Em entrevista à CNN, Bivar disse que a vaga da ministra Daniela Carneiro no Ministério do Turismo “é uma cota do União Brasil” e que acredita que o governo Lula deve separar as disputas regionais do partido com o apoio nacional ao Palácio do Planalto.