Assembleia do Amazonas arquiva processo de impeachment contra Wilson Lima

Governador é investigado por supostas fraudes em contratos de equipamentos e insumos comprados durante a pandemia da Covid-19

O governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC)
O governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC) Foto: Secretaria de Educação do Amazonas

Gabriel Passeri*

Ouvir notícia

O processo de impeachment contra o governador Wilson Lima (PSC) e o vice-governador Carlos Almeida (PTB), apresentado pelo Sindicato dos Médicos do Amazonas, foi arquivado pela maioria dos votos na Assembleia Legislativa do estado (Aleam).

A votação favorável ao arquivamento foi realizada na tarde desta quinta-feira (06). Foram 12 votos a favor, 6 contra, 5 abstenções e 1 ausência. 

No começo de julho deste ano, a Aleam aceitou o pedido da Procuradoria-Geral da Casa para dar andamento ao processo de impeachment dos dois políticos, poucos dias após a deflagração da Operação Sangria, da Polícia Federal.

Leia também:

Governador do Amazonas é alvo de buscas da PF por fraudes na saúde

PF pede prisão de Wilson Lima e faz apreensão em hotel; STJ nega medida

De acordo com as investigações, Wilson Lima teria participação no suposto superfaturamento na compra de respiradores, no direcionamento da contratação de empresas e em um esquema de lavagem de dinheiro.

Na sessão desta quinta-feira, o deputado Delegado Péricles (PSC) abriu os discursos antes da votação, atribuindo ao governador e ao vice a responsabilidade no caos vivido pela saúde pública do Amazonas.

Mais incisivo, Dermilson Chagas (Podemos) disse que o arquivamento do processo sepultaria a memória das milhares de vítimas da Covid-19 no Amazonas.

Falando pela bancada pró-governo, o deputado Belarmino Lins (PP) apontou que o processo de impeachment não é sustentável para o afastamento dos chefes de Estado.

No perfil que mantém no Twitter, Wilson Lima comemorou o resultado da votação e disse que o arquivamento “fortalece a democracia e demonstra que o que deve prevalecer são as leis do Estado e do País”.

Votaram à favor do arquivamento do processo de impeachment os deputados Abdala Fraxe (Podemos), Adjuto Afonso (PDT), Alessandra Campêlo (MDB), Augusto Ferraz (DEM), Belarmino Lins (PP), Cabo Maciel (PL), Carlinhos Bessa (PV), Dr Gomes (PSC), Joana Darc (PL), Roberto Cidade (PV), Saullo Vianna (PTB) e Therezinha Ruiz (PSDB).

Foram contra o arquivamento Álvaro Campelo (Progressista), Dermilson Chagas (Podemos), Delegado Péricles (PSC), Josué Neto (PRTB), Serafim Corrêa (PSB), Wilker Barreto (Podemos). Escolheram pela abstenção os deputados: Fausto Júnior (PRTB), Ricardo Nicolau (PSD), Sinésio Campos (PT), Felipe Souza (Patriota) e João Luiz (Republicanos).

A deputada Dra. Mayara Pinheiro (PP) esteve ausente.

*Gabriel Passeri, sob supervisão de Evelyne Lorenzetti 

 

Mais Recentes da CNN