Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Auxiliares de Bolsonaro dizem que governo decide não dar reajuste a servidores e opta por aumento em vale-alimentação

    Palácio do Planalto pretende anunciar outras medidas como forma de compensar o funcionalismo

    Sem condição de conceder o aumento linear aos servidores federais, governo busca outras formas de compensar o funcionalismo
    Sem condição de conceder o aumento linear aos servidores federais, governo busca outras formas de compensar o funcionalismo José Cruz/Agência Brasil

    Thais Arbex

    Ouvir notícia

    O presidente Jair Bolsonaro (PL) decidiu não dar o reajuste linear de 5% para os servidores públicos federais, mas deve anunciar nesta quinta-feira (2) um aumento no valor do vale-alimentação para o funcionalismo do Executivo, segundo integrantes do governo.

    De acordo com relatos de auxiliares de Bolsonaro à CNN, ainda não está definido se o anúncio da decisão será feito pelo mandatário do Palácio do Planalto ou pela equipe econômica, mas a avaliação levada ao presidente é de que não há mais como empurrar a divulgação.

    O martelo sobre a impossibilidade de bancar o aumento salarial para os servidores foi batido na noite desta quarta-feira (1º). Além do reajuste no vale-alimentação, o governo pretende anunciar outras medidas como forma de compensar o funcionalismo.

    Em meio à pressão por ter prometido aumento apenas para as forças policiais, Bolsonaro chegou a anunciar um reajuste linear para todas as carreiras, mas foi obrigado a recuar diante do diagnóstico apresentado pelos ministérios.

    No início da semana, Bolsonaro editou um decreto com bloqueio de R$ 8,2 bilhões no Orçamento, valor abaixo do que estava previsto para conseguir acomodar o reajuste salarial.

    A decisão do presidente foi baseada no fato de uma série de ministros informarem, oficialmente, ao Palácio do Planalto que não conseguiriam ‘sobreviver’ aos cortes orçamentários –apontando, inclusive, para paralisia em determinados projetos caso abrissem mão de parte de seus recursos.

    Na semana passada, aliados de Bolsonaro disseram à CNN que o presidente só levaria o aumento salarial adiante se tivesse o “ok” dos ministérios que entraram na lista de bloqueios. Oficialmente, o Planalto não se manifestou.

    Mais Recentes da CNN