Bolsonaro chama Moro de Judas e questiona atuação na investigação da facada

Em postagem no Facebook, o presidente indaga se o então ministro da Justiça "interferiu para que não se investigasse" a tentativa de homicídio

O presidente Jair Bolsonaro e o ex-ministro da Justiça Sergio Moro em solenidade em Brasília (17.jun.2019)
O presidente Jair Bolsonaro e o ex-ministro da Justiça Sergio Moro em solenidade em Brasília (17.jun.2019) Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) compartilhou em suas redes sociais na manhã deste sábado (2) um vídeo que levanta suspeitas sobre a facada que sofreu em 2018. Além do link, a postagem continha alguns questionamentos.

“Os mandantes estão em Brasília? O Judas, que hoje deporá, interferiu para que não se investigasse? Nada farei que não esteja de acordo com a Constituição. Mas também NÃO ADMITIREI que façam contra MIM e ao nosso Brasil passando por cima da mesma Constituição”, diz a mensagem.

Judas, neste contexto, é o ex-juiz Sergio Moro, ministro da Justiça do governo Bolsonaro até a última semana, que irá depor à Polícia Federal neste sábado (2), entre 11h e 14h, em Curitiba. Ele falará no âmbito do inquérito que apura as acusações de que o presidente Jair Bolsonaro tentou interferir no trabalho da PF, caso que foi estopim da demissão de Moro do governo.

Leia também: 
“Gostaria que todos voltassem a trabalhar”, diz Bolsonaro em live
As principais baixas do governo Bolsonaro

Mais cedo, Bolsonaro se encontrou com apoiadores à frente do Palácio do Alvorada e afirmou que “ninguém vai querer dar golpe” em cima dele.

Em vídeo divulgado por seu perfil no Facebook, um grupo demonstrava apoio ao chefe do executivo. “Viemos para te dar apoio, para repudiar o que o STF [Supremo Tribunal Federal] está fazendo com o senhor. O senhor é o nosso mito. Queremos agradecer o senhor por ter dado o seu sangue pelo nosso país”, disse um dos presentes.

Bolsonaro respondeu: “Fiquem tranquilos, ninguém vai fazer nada ao arrepio da Constituição. Fiquem tranquilos, ninguém vai querer dar um golpe em cima de mim, não”.

Mais Recentes da CNN