Bolsonaro considera chefe de gabinete para coordenar articulação política

Com reforma ministerial, assessores relatam à CNN que presidente discute nomear Célio Faria para pasta responsável pela interlocução com Congresso Nacional

Presidente Jair Bolsonaro
Presidente Jair Bolsonaro 25/11/2021REUTERS/Ueslei Marcelino

Gustavo Uribeda CNN

em Brasília

Ouvir notícia

Com uma reforma ministerial programada para o final deste mês, o presidente Jair Bolsonaro (PL) estaria considerando nomear seu chefe de gabinete, Célio Faria, para o comando da Secretaria de Governo.

A atual ministra da pasta, Flávia Arruda, deixará o posto para disputar o cargo de senadora pelo Distrito Federal, e o presidente já teria manifestado em conversa com assessores, que vislumbra uma solução caseira para a vaga.

Por ser um cargo estratégico, responsável pela negociação das pautas governistas junto ao Congresso Nacional, o presidente pretende nomear alguém de sua confiança.

Segundo relatos feitos à CNN Brasil por assessores palacianos, Bolsonaro tem citado o conhecimento de Célio Faria em processo legislativo e orçamentário, uma vez que ele atuou como relações institucionais da Marinha.

A nomeação do chefe de gabinete seria também uma forma de blindar a função da pressão de integrantes da base aliada, que vinham sinalizando interesse no posto.

Segundo auxiliares presidenciais, não é a primeira vez que o presidente avalia o nome de Célio para a Esplanada dos Ministérios. No passado, ele teria sido cotado para a Secretaria-Geral da Presidência da República.

Ao todo, oito ministros devem deixar o cargo no final do mês para disputas eleitorais. A lei eleitoral estabelece o início de abril como prazo de desincompatibilização.

Procurada pela CNN, a Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom) do Palácio do Planalto ainda não respondeu à reportagem.

Mais Recentes da CNN