Bolsonaro critica CPI da Pandemia por meio de redes sociais

Presidente chamou a comissão de "circo" e questionou a credibilidade do depoente Cristiano Carvalho

Renato Barcellos, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Mesmo internado em um hospital de São Paulo, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) utilizou as redes sociais para criticar o andamento da CPI da Pandemia

Bolsonaro chamou a comissão de “circo” e disse que “Renan [Calheiros], Omar [Aziz] e Saltitante [em alusão ao senador Randolfe Rodrigues] estão mais para três otários que três patetas”.

“O que frustra o G-7 é não encontrar um só indício de corrupção em meu Governo. No caso atual querem nos acusar de corrupção onde nada foi comprado, ou um só real foi pago”, escreveu o presidente.

Nas postagens, o chefe do Executivo também ironizou o depoimento do representante da Davati Medical Supply no Brasil, Cristiano Carvalho, à CPI. Além disso, Bolsonaro também questionou a credibilidade da testemunha ouvida nesta quinta-feira (15). 

“Segundo Cristiano a Davati nunca pagou despesas do Dominghetti nem a própria. Cristiano diz ainda que até sua passagem aérea para Brasília a pagou com milhas próprias (quanta ‘honestidade’)”, publicou.

“Um ‘negócio’ bilionário onde o Cristiano para “sobreviver” usa do artifício de se beneficiar do Auxílio Emergencial (sacou e não devolveu R$ 4.100,00 em 2020)”, finalizou Bolsonaro.

O presidente da CPI da Pandemia, o senador Omar Aziz (PSD-AM), disse à CNN que não iria responder as postagens.

 

“Nós torcemos pela saúde do presidente, torço muito pela saúde porque eu quero debater politicamente com o presidente Bolsonaro em plena forma física, e não com uma pessoa que tá convalescendo. Pelos problemas que estamos assistindo, eu não creio que ele tuitou isso”, afirmou.

Com informações de Cassius Zeilmann, da CNN

 

Presidente Jair Bolsonaro
Foto: Isac Nóbrega/Presidência da República/Divulgação

Mais Recentes da CNN