Bolsonaro diz que “há muita coisa” para conversar com o PL antes de filiação

Presidente disse que filiação não deve acontecer no dia 22 de novembro, como anunciado pelo partido

Giovanna Galvanida CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que sua filiação ao Partido Liberal (PL) não deve acontecer no dia 22 de novembro, como foi anunciado pelo partido nos últimos dias.

O presidente falou com jornalistas durante um evento em Dubai neste domingo (14). Ele disse ser “difícil” viabilizar a filiação para acertar o que chamou de “casamento” com a sigla, e afirmou ainda ter “muita coisa a conversar” antes do ato de filiação.

“Só vale depois que eu assinar embaixo. Enquanto eu não assinar, não vale. Você quer saber a data da criança, eu nem casei ainda. Tem muita coisa que para conversar com o Valdemar da Costa Neto ainda”, disse Bolsonaro, fazendo referência ao ex-deputado e atual presidente do partido.

De acordo com o presidente, é necessário alinhar pautas “conservadoras, nas questões de interesse nacional, na política em relação ao exterior, na questão de defesa também” que, segundo ele, estão caminhando bem até o momento.

“É um casamento que precisa ser perfeito. Se não for 100%, que seja 99%. É essa a ideia. É isso que o povo espera de todos nós”, afirmou. “Eu acho difícil essa data de 22 [de novembro]. Estamos conversados de comum acordo que podemos atrasar esse casamento um pouco pra que ele não comece sendo muito igual aos outros”, disse Bolsonaro.

Um dos requisitos citados por Bolsonaro para cravar a filiação é o partido não apoiar “alguém do PSDB” nas eleições em São Paulo, onde ele afirmou não ter candidato ainda – apesar de ter mencionado o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, como uma possibilidade.

“Sabemos da importância de termos duas bancadas na Câmara e no Senado. Mas também de fechar com governadores que possam ser diferentes de muitos que estão aí no momento”, disse o presidente.

Jair Bolsonaro passa parte da semana no Oriente Médio. No sábado (13), Bolsonaro falou à CNN Brasil que seu encontro com o primeiro-ministro dos Emirados Árabes Unidos foi um trabalho de apresentação e que este encontro não estava planejado, mas os ministros brasileiros e árabes conversaram a respeito, principalmente, de agricultura e inteligência artificial.

Neste domingo (14), o presidente compareceu à Dubai Air Show, feira de aviação civil e militar, e deve visitar uma unidade da empresa BRF.

Na segunda (15), Bolsonaro participa da abertura do “Invest in Brazil Forum” e da cerimônia do Dia do Brasil. Há a previsão também de reuniões com o príncipe herdeiro de Abu Dhabi, Mohamed Bin Zayed Al Nahyan, e o emir de Dubai e primeiro-ministro dos Emirados Árabes.

Na terça-feira (16), ele sai de Dubai com destino ao Bahrein, onde irá inaugurar a Embaixada do Brasil em Manama, capital do Reino de Bahrein. Na quarta (17), o presidente parte de Bahrein em direção à Doha, no Catar, para reuniões previstas com o emir do país, Tamim Bin Hamad. O retorno ao Brasil está previsto para a quinta-feira (18).

Mais Recentes da CNN