Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Eleições 2022

    Bolsonaro faz apelo por fim de bloqueios: “Desobstruam as rodovias”

    Em vídeo divulgado nas redes sociais, o presidente afirmou que as manifestações não são "legítimas" e que seus apoiadores precisam ficar "dentro das 4 linhas"

    Da CNN

    O presidente Jair Bolsonaro (PL) publicou um vídeo em seu Facebook na noite desta quarta-feira (2) em que pede que seus apoiadores desobstruam as rodovias que estão ocupando por todo o país. O chefe do Executivo, derrotado no pleito presidencial do último domingo (30), disse que entende a frustração dos manifestantes, mas, segundo ele, o momento é de “colocar a cabeça no lugar”.

    “Sei que vocês estão chateados, estão tristes, esperavam outra coisa. Eu também. Estou tão chateado quanto você. Mas nós temos que ter a cabeça no lugar”, afirmou.

    Bolsonaro disse que a obstrução de rodovias prejudica o direito de ir e vir da população e disse que não se pode “perder a legitimidade”.

    “Os protestos e as manifestações são muito bem-vindas, fazem parte do jogo democrático. [….] Agora, tem algo que não é legal. O fechamento de rodovias pelo Brasil prejudica o direito de ir e vir das pessoas. Está na nossa Constituição. E nós sempre estivemos dentro dessas quatro linhas. Tem que [se] respeitar o direito de outras pessoas que estão se movimentando”, completou.

    “Quero fazer um apelo a você: desobstrua as rodovias. Isso daí não faz parte, no meu entender, dessas manifestações legítimas. Não vamos perder essa legitimidade”, disse Bolsonaro.

    O presidente sugeriu que seus apoiadores manifestem sua indignação em praças e locais que não atrapalhem a locomoção dos demais brasileiros.

    “Por favor, não pensem mal de mim. Eu quero o bem de vocês.”

    Na terça-feira (1º), Bolsonaro se manifestou pela primeira vez após a derrota. Na ocasião, o presidente não havia claramente sobre os protestos, dizendo apenas que: “Os atuais movimentos populares são fruto de indignação e sentimento de injustiça de como se deu processo eleitoral”.

    *Publicado por Renan Porto