Bolsonaro diz que fundo eleitoral é responsabilidade de Ramos; deputado responde

Ao deixar o hospital após tratamento de uma obstrução intestinal, presidente comentou sobre a aprovação da LDO e culpou deputado do amazonas pelo valor do fundo

André Rigue, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

 

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) culpou o deputado federal e vice-presidente da Câmara, Marcelo Ramos (PL-AM), pela elevação do valor do Fundo Eleitoral, que praticamente triplicou para R$ 5,7 bilhões. A aprovação ocorreu dentro da votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), na última quinta-feira (15), e repercutiu negativamente nas redes sociais, já que contou com votos de deputados da base do governo.

Segundo Bolsonaro, Marcelo Ramos foi o culpado por não ter separado o Fundo Eleitoral da LDO. “Os parlamentares aprovaram a LDO. É um documento enorme, com vários anexos. Tem muita coisa lá dentro. Muitos parlamentares tentaram destacar essa questão [Fundo Eleitoral]. O responsável por aprovar isso é o Marcelo Ramos lá do Amazonas, viu presidente [Arhur Lira PP-AL]. Ele que fez isso tudo”, afirmou Bolsonaro.

No Twitter, Marcelo Ramos respondeu ao presidente. “Se depender do Bolsonaro ele não é responsável por nenhuma das mais de 530 mil pessoas mortas na pandemia, nem por 15 milhões de desempregados, nem por 19 milhões de brasileiros com fome e nem mesmo pela escandalosa tentativa de roubo na compra de vacinas. Ele deveria é dizer que vai vetar, mas vai tentar arrumar alguém para responsabilizar também, porque é típico dele e dos filhos correr das suas responsabilidades e obrigações.”

O presidente defendeu parlamentares da base que votaram favoráveis à LDO e, consequentemente, ao Fundo Eleitoral. “Se tivesse destacado [o Fundo Eleitoral], o resultado talvez tivesse sido diferente. Quem está atacando parlamentares que votou o Fundão, isso não é verdade. Teve a votação da LDO que interessava ao governo. Então num projeto enorme, alguém botou lá dentro essa casca de banana, essa jabuticaba. O parlamento descobriu, foi tentando destacar para votação nominal essa questão e o Marcelo Ramos atropelou e não colocou em votação em destaque”, disse Bolsonaro.

“Obrigado aos parlamentares que votaram pela LDO, todos eles estão sendo acusados injustamente de terem votado o Fundão. Eu sigo minha consciência, e a gente vai tentar buscar um bom final… Isso tudo vai para o Orçamento, cada vez mais eu tenho menos recursos para investir”, disse Bolsonaro.

O valor para financiamento público de campanha passará a ser exatamente de R$ 5,73 bilhões. Em 2020, foram R$ 2 bilhões, quando foram eleitos prefeitos e vereadores.

O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), deixa o hospital em SP
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deixa o hospital Vila Nova Star, na zona sul de São Paulo
Foto: Aloisio Mauricio/FotoArena/Estadão Conteúdo

Mais Recentes da CNN