Bruno Salles: Operação da PF na sede da Precisa Medicamentos é muito necessária

No quadro Liberdade de Opinião desta sexta-feira (17), o comentarista avaliou a operação da PF na sede da empresa a pedido da CPI da Pandemia

Da CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

No quadro Liberdade de Opinião desta sexta-feira (17), o comentarista Bruno Salles avaliou a operação da Polícia Federal na sede da Precisa Medicamentos. Desde o início desta manhã, a PF está realizando, a pedido da CPI da Pandemia, uma operação de busca e apreensão na sede da empresa.

A ação foi autorizada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e tem como objetivo chegar a informações sobre o contrato entre a Precisa Medicamentos e a Bharat Biotech. Agentes procuraram documentos relacionados ao contrato.

No Twitter, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-SP), vice-presidente da comissão, afirmou: “A CPI tentou de todas as formas obter essas informações e não logrou êxito. Fez-se necessário, para prosseguimento das apurações, a utilização deste instrumento judicial”.

“Poucas vezes eu vi um caso de tanta necessidade de busca e apreensão. A gente se acostumou a ver casos de busca e apreensão serem banalizados no Brasil por conta da espetacularização que o cumprimento de uma medida de busca e apreensão traz. Esse instrumento deve ser deixado para última instância. Se você não conseguiu obter documentos por uma forma menos invasiva, aí tem de recorrer ao instrumento da busca e apreensão. Segundo os senadores, eles tentaram com o Ministério da Saúde e com a Precisa esse contrato e não conseguiram, e esse contrato está num grande esquema que está sendo apurado pela CPI”, argumentou Salles.

O Liberdade de Opinião tem a participação de Fernando Molica e Alexandre Garcia. O quadro vai ao ar diariamente na CNN. Nesta semana, excepcionalmente, conta com a participação de Bruno Salles.

Bruno Salles no quadro Liberdade de Opinião
Bruno Salles no quadro Liberdade de Opinião / CNN Brasil (17.set.2021)

As opiniões expressas nesta publicação não refletem, necessariamente, o posicionamento da CNN ou seus funcionários.

Mais Recentes da CNN