Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Câmeras corporais: Governadores bolsonaristas não usam o modo “liga e desliga” de SP; saiba mais

    Levantamento mostra que 12 estados utilizam as câmeras corporais e oito no modo ininterrupto

    Câmera corporal em farda de policial militar de São Paulo
    Câmera corporal em farda de policial militar de São Paulo Divulgação

    Pedro Venceslauda CNN

    São Paulo

    Criticado por especialistas e rejeitado pelo governo federal, o modelo de câmeras corporais nos uniformes que será adotado em São Paulo e dá autonomia aos policiais para ligá-las e desligá-las não é utilizado na maioria dos estados, entre eles os estados governados por aliados do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) — Minas Gerais, Rio de Janeiro e Paraná.

    O uso de câmeras corporais com gravação ininterrupta foi alvo de críticas de políticos bolsonaristas, entre eles o deputado Eduardo Bolsonaro (PL-SP).

    Quando o programa foi lançado, em 2020, o filho de Jair Bolsonaro afirmou que as câmeras ligadas 100% do tempo desestimulam o trabalho do policial, impedem o uso de informantes e tiram a privacidade.

    Mapeamento feito pelo Núcleo de Estudos da Violência (NEV) da USP mostra que dos 12 estados que utilizam câmeras corporais, oito funcionam no modo ininterrupto.

    O levantamento foi feito a partir de informações coletadas por meio da Lei de Acesso à Informação em comparação com o Diário Oficial de cada Unidade Federativa.

    O uso dos equipamentos começou no Brasil em São Paulo em 2020 na gestão João Doria, que batizou o programa de “Olho Vivo”.

    Segundo pessoas envolvidas no projeto à época ouvidas pela CNN, o modelo se inspirou nas experiências de Israel, Inglaterra e Estados Unidos.

    Os três países utilizam as câmeras no modo ininterrupto. O Ministério da Justiça vai anunciar as diretrizes nacionais e a orientação para os estados, segundo fontes, será para que adotem o modelo de gravação ininterrupta.

    Mapa das Câmeras Corporais

    Mapeamento feito dia 25 de maio pelo Núcleo de Estudos da Violência (NEV) da USP a partir de informações coletadas por meio da Lei de Acesso à Informação em comparação com o Diário Oficial de cada Unidade Federativa.

    1. Bahia – PM/Gravação Ininterrupta com acionamentos em ocorrências;
    2. Ceará – Polícia Penal/Gravação Ininterrupta/Teste PM;
    3. Espírito Santo – Polícia Penal/Gravação acionada em ocorrência;
    4. Minas Gerais – Gravação Ininterrupta. Acionada em ocorrências;
    5. Pará – PM/Gravação Ininterrupta acionada em ocorrências;
    6. Paraná – PRE e PM/ Gravação Ininterrupta acionada em ocorrências – Teste em algumas cidades;
    7. Pernambuco – PM/Gravação Ininterrupta acionada em ocorrências – 17° Batalhão de PM;
    8. Rio de Janeiro – PM/Gravação Ininterrupta acionada em ocorrências;
    9. Rio Grande do Norte – PM/Gravação acionada em ocorrência Rio;
    10. São Paulo – PM/Gravação Ininterrupta acionada em ocorrências;
    11. Roraima – PM/Faltam informações;
    12. Santa Catarina – PM/Gravação acionada em Ocorrência.