Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Carlos Bolsonaro disse em depoimento que não quis atacar chefe da PF, segundo defesa

    Depoimento na superintendência da Polícia Federal no Rio durou cerca de 30 minutos

    O vereador Carlos Bolsonaro
    O vereador Carlos Bolsonaro Reprodução/Instagram

    Pedro Duranda CNN

    São Paulo

    Intimado para depor nesta terça-feira (30), o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos) disse que a postagem que deu origem a um inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) não teve a intenção de ofender ou atacar o atual chefe da Polícia Federal, Andrei Rodrigues.

    As informações foram confirmadas para a CNN pelo advogado do vereador, Antonio Carlos Fonseca.

    Fonseca, Carlos Bolsonaro e o delegado responsável pelo caso se encontraram na sede da Polícia Federal na zona portuária do Rio de Janeiro pouco depois das 9h da manhã. Cliente e advogado entraram e saíram sem falar com jornalistas.

    A expectativa da defesa é que a fala de Carlos possa ser suficiente para que esse inquérito não siga adiante.

    Ele alegou que a postagem sobre democracia que trouxe imagens do pai, o ex-presidente Jair Bolsonaro, morto em forma de sátiras, e crítica ao “diretor” não tiveram como alvo uma pessoa específica, mas foram uma expressão da indignação dele.

    Carlos foi questionado sobre o que teria motivado a postagem, ponto central da investigação. Ele disse que não mirava ninguém em específico e que a suposta perseguição contra o pai dele começou antes mesmo da chegada de Andrei Rodrigues ao comando da PF.

    O depoimento atende a uma intimação da Polícia Federal sobre uma postagem de Carlos Bolsonaro feita em 27 de agosto de 2023. A mensagem foi tida como ofensiva ao diretor da Polícia Federal, Andrei Rodrigues.

    O filho de Bolsonaro republica uma postagem do perfil “Dama de Ferro”, que traz imagens de alusões ao pai morto em forma de sátira.

    O perfil escreve: “zero busca e apreensão, zero inquérito, zero perfis bloqueados, zero reportagem em repúdio, pessoas presas: zero”. No título da postagem, a frase: “tudo pela manutenção da democracia”.

    Sobre esta imagem, Carlos Bolsonaro afirma que “o seu guarda diretor aqui enxerga com outros olhos”, o que foi interpretado como alusão a investigações desequilibradas entre ameaças a Lula e a Bolsonaro.

    “De acordo com o setor de inteligência da PF, essa publicação do Carlos seria ofensiva ao atual Diretor da PF, que sequer tinha conhecimento do fato e foi instado a se manifestar, e determinou a instauração do inquérito”, disse à CNN o advogado de Carlos Bolsonaro, Antônio Carlos Fonseca.