Celso de Mello pede que PGR se manifeste sobre vazamento de operação da PF

Pedido quer vazamento de informações a Flávio Bolsonaro seja investigado no inquérito que apura a interferência do presidente na Polícia Federal

Gabriela Coelho,

da CNN, em Brasília

Ouvir notícia

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), pediu que a Procuradoria-Geral da República se manifeste em um pedido feito pelo deputado federal Marcelo Calero (Cidadania-RJ) para que o suposto vazamento de uma operação da Polícia Federal (PF) ao senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) seja investigado no inquérito que apura a possível interferência do presidente Jair Bolsonaro na PF.

“Ouça-se o eminente Senhor Procurador-Geral da República sobre as postulações deduzidas pelo ora noticiante nos presentes autos”, disse o ministro em trecho do despacho. 

O suposto aviso com antecedência ao senador e o adiamento da Operação Furna da Onça foram relatados pelo empresário Paulo Marinho, suplente de Flávio, em entrevista ao Jornal Folha de S. Paulo. 

Na ação enviada ao Supremo, o parlamentar afirma que “há relação entre o que foi narrado pelo empresário e os fatos investigados pela Corte.”

O inquérito foi aberto depois que o ex-ministro Sergio Moro deixou o governo alegando que o presidente buscava interferir na Polícia Federal por meio da troca do diretor-geral e dos superintendentes.

Prorrogação

Nesta semana, o procurador-geral da República, Augusto Aras, concordou com pedido feito pela Polícia Federal ao STF de prorrogar por 30 dias o inquérito que apura suposta interferência do presidente Jair Bolsonaro na autonomia da corporação.

A PF havia pedido ao ministro do STF Celso de Mello, relator do processo, mais 30 dias para concluir as investigações. O ministro ainda não decidiu sobre os prazos.

Mais Recentes da CNN