Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    “Centrão enterrou a CPI do MST”, diz Ricardo Salles à CNN

    Relator da comissão afirma que não pedirá prorrogação dos trabalhos do colegiado

    Deputado Ricardo Salles (PL-SP) é relator da CPI do MST na Câmara
    Deputado Ricardo Salles (PL-SP) é relator da CPI do MST na Câmara Agência Câmara

    Carol Raciunasda CNN*

    Em São Paulo

    O deputado Ricardo Salles (PL-SP), relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara que investiga a atuação do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), afirmou nesta quarta-feira (9) à CNN que não pedirá mais a prorrogação dos trabalhos do colegiado.

    “O centrão enterrou a CPI. Traiu a Frente Parlamentar da Agropecuária, traiu o agronegócio brasileiro. Nós não vamos fazer jogo de cena, não vamos prorrogar o prazo da CPI”, afirmou.

    Vídeo: Não é o MST que tem que avaliar se terra é produtiva ou não, diz presidente da CPI à CNN

    A decisão ocorreu logo após o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), acatar um pedido para impedir a convocação do ministro da Casa Civil, Rui Costa, que prestaria depoimento nesta quarta-feira (9), após aprovação da comissão.

    Ao justificar o pedido, o deputado Nilto Tatto (PT-SP) afirmou que “não se demonstrou no requerimento a conexão entre as atribuições do ministro da Casa Civil da Presidência da República e os fatos investigados pela CPI sobre o MST”.

    O pedido acompanha manobras da base governista, que negociou trocas de integrantes da CPI com partidos de Centro. “Com essas alterações, com certeza, temos maioria”, afirmou o deputado e suplente da CPI, deputado Alencar Santana (PT-SP).

    A CPI tem prazo de funcionamento até 14 de setembro, mas poderia ser prorrogado em até 60 dias.

    *Sob supervisão de Jorge Fernando Rodrigues