Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Chiquinho Brazão diz que é inocente durante reunião do Conselho de Ética da Câmara

    Conselho de Ética da Câmara escolheu possível relator em processo de cassação do mandato do parlamentar

    Afirmações foram feitas por vídeoconferência
    Afirmações foram feitas por vídeoconferência Reprodução/TV Câmara

    Leonardo Ribbeiroda CNN Brasília

    O deputado federal Chiquinho Brazão (Sem partido-RJ), preso há um mês por suspeita de ser um dos mandantes do assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, disse, nesta quarta-feira (24), que é inocente e provará isso.

    As afirmações foram feitas por videoconferência durante reunião do Conselho de Ética da Câmara.

    “O que posso falar em minha defesa é que sou inocente e que vou provar. Sei que não há muito o que dizer, porque, pela grande relevância desse crime, sei como a Câmara está nesse momento, está se passando, com todos os deputados que aí estão”, completou.

    Chiquinho foi autorizado a falar durante a reunião, porque o colegiado teve que sortear um novo possível relator para o processo de cassação do mandato dele.

    O nome escolhido foi o do deputado Jorge Solla (PT-BA). Já haviam aceitado compor a lista os deputados Jack Rocha (PT-ES) e Joseildo Ramos (PT-BA). Cabe agora ao presidente do Conselho decidir quem será o relator o caso.

    Outros quatro parlamentares haviam rejeitado as indicações: Bruno Ganem (Podemos-SP), Ricardo Ayres (Republicanos-TO), Gabriel Mota (Republicano-RR) e Rosângela Reis (PL-MG).