Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Chuvas no RS: Ministra da Saúde pede que população evite o uso de antibióticos de forma preventiva

    População tem se preocupado com o risco de doenças como a leptospirose nas áreas alagadas; Nísia Trindade enfatizou que uso dos medicamentos deve ser feito somente por quem apresenta sintomas

    Lucas SchroederPedro DuranBasília RodriguesTeo Curyda CNN

    São Paulo e Brasília

    A ministra da Saúde, Nísia Trindade, pediu à população afetada pelas enchentes no Rio Grande do Sul que evite o uso de antibióticos de forma preventiva. O alerta foi feito em entrevista ao CNN Novo Dia, que vai ao ar de segunda a sexta entre 6h e 9h, nesta terça-feira (7).

    Questionada na entrevista sobre os médicos estarem oferecendo, principalmente pela internet, receitas para uso de antibióticos e outros medicamentos de maneira indiscriminada, a ministra explicou que o ministério recomenda cautela nesses casos.

    “Sobre o impacto para doenças como leptospirose, outras febres que surgem, vários problemas infecciosos, em função de água contaminada, nós temos um kit de medicamentos para situações de emergência. Enviamos 20 unidades. Cada uma atende 1.500 pessoas. São medicamentos básicos, como soros e antibióticos”, disse Nísia.

    “Com relação às questões de orientação e antibióticos, esse foi tema discutido ontem, inclusive na reunião que tive com hospitais, com a Secretaria de Estado da Saúde e com as secretarias municipais. Às vezes há alguma diferença de orientação entre as secretarias. O Ministério da Saúde vai publicar hoje uma nota após consulta com seus especialistas, mas eu quero dizer às pessoas que não têm sintomas que nós não recomendamos uma profilaxia [medidas utilizadas na prevenção de doenças] em massa com antibióticos. Isso tem que ser feito de forma muito cuidadosa. Haverá orientação específica para os grupos de salvamento, de resgate, para dar segurança”, continuou a ministra.

    Antibióticos são comumente utilizados no tratamento de doenças relacionadas à água contaminada, como a leptospirose, transmitida a partir da exposição direta ou indireta à urina de animais (principalmente ratos) contaminados infectados pela bactéria Leptospira.

    Segundo o Ministério da Saúde, os sintomas de leptospirose incluem:

    • Febre;
    • dor de cabeça;
    • dor muscular, principalmente nas panturrilhas;
    • falta de apetite;
    • náuseas e vômitos.

    Ainda de acordo com Nísia, o ministério tem preparado medidas voltadas à saúde mental em parceria com os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS). Ela destacou também a liberação de emendas e verbas para amenizarem a situação de emergência vivida no Sul do país.

    “São R$ 63 milhões para custeio emergencial. Além disso, como foi noticiado, nós fizemos uma ação muito forte para pagamento de emendas de parlamentares do Rio Grande do Sul, que, em grande parte, se destinavam ao custeio de ações de saúde dos municípios”, ressaltou a ministra.

    “Naturalmente, essas emendas foram feitas antes. O objeto não era a situação dramática que estamos vivendo agora, mas são ações de custeio que vão contribuir para dar assistência à população”, completou Nísia.

    FOTOS – Água invade diversas áreas de Porto Alegre