Termina horário de votação preferencial de idosos; grupo segue tendo prioridade

Destes, 13.514.088 estão acima dos 70 anos, o equivalente a 9,13%, e para eles o voto é facultativo

Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil

Guilherme Venaglia, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Acabou o horário preferencial de votação para eleitores maiores de 60 anos nas eleições municipais de 2020, que se iniciou às 7h deste domingo (15) e foi até 10h. Essa foi uma das medidas adotadas para mitigar os riscos decorrentes da Covid-19.

Apesar da recomendação para votar mais cedo, o grupo segue tendo prioridade para exercer o direito de voto quando chegar ao seu colégio eleitoral.

Segundo os números do TSE, o Brasil possui 30.232.970 eleitores com 60 anos ou mais, que correspondem a 20,44% do total. Destes, 13.514.088 estão acima dos 70 anos, o equivalente a 9,13%, e para eles o voto é facultativo.

A adoção do horário preferencial para idosos, grupo de risco para a doença do novo coronavírus, foi uma recomendação da consultoria médica da Justiça Eleitoral, formada por especialistas da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e dos hospitais Albert Einstein e Sírio-Libanês.

Assista e leia também:

Levar a própria caneta e ir sozinho: as recomendações para a votação deste ano
Perdeu o título de eleitor? Saiba o que é preciso apresentar para votar
Pandemia impõe regras inéditas para as eleições municipais de 2020

A votação de eleitores mais jovens nesses horários não será proibida, mas não é recomendada, dentro dos protocolos adotados para a segurança sanitária das eleições municipais de 2020. O horário de votação, assim como o de justificativa, segue se encerrando às 17h.

O eleitor segue precisando comparecer ao local de votação pré-determinado. O TSE orienta os eleitores de todas as idades a consultarem o local de votação, considerando que parte dos votantes foram transferidos dentro dos esforços para que se evite aglomerações.

Para conseguir realizar um pleito que é obrigatoriamente presencial, com quase 150 milhões de eleitores em mais de 5,5 mil municípios, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) recorreu a uma série de adaptações e protocolos adicionais de segurança, para mitigar os riscos de disseminação da Covid-19.

O processo de votação foi todo adaptado para evitar pontos de contato físico e incluir etapas de higienização com álcool em gel durante o processo de votação. O uso de máscaras é obrigatório e o eleitor também está aconselhado a levar a própria caneta.

Eleitores ou mesários que tiverem sintomas de febre ou que foram diagnosticados com Covid-19 nos 14 dias anteriores à data da eleição não devem comparecer. Posteriormente, esse motivo poderá ser citado para justificar a ausência, no caso dos eleitores. Os mesários devem avisar a zona eleitoral da ausência.

Mais Recentes da CNN