“Continuo defendendo, como sempre, que tenhamos candidatura própria”, diz Aécio

Deputado afirma que o PSDB "está em condições de analisar outros nomes da nossa legenda que possam liderar não só o PSDB, mas também importantes setores do centro democrático"

Deputado federal Aécio Neves (PSDB), na época em que atuava como senador. Brasília, 6 de junho de 2018.
Deputado federal Aécio Neves (PSDB), na época em que atuava como senador. Brasília, 6 de junho de 2018. Marcos Oliveira/Agência Senado

Tiago TortellaJorge Fernando Rodriguesda CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

Após a desistência de João Doria (PSDB) da pré-candidatura à Presidência da República nesta segunda-feira (23), o deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG) defendeu que o partido ainda tenha uma candidatura própria e pediu união. Se o cenário atual se confirmar, esta será a primeira vez desde 1989 que o PSDB não lança um candidato à disputa do posto mais alto do Executivo.

“A decisão do ex-governador João Doria de afastar-se da disputa presidencial obriga o PSDB a reabrir a discussão sobre como vamos enfrentar as próximas eleições“, disse. “Continuo defendendo, como sempre fiz, que tenhamos candidatura própria”, acrescentou.

Aécio, que ficou em segundo lugar na eleição presidencial de 2014, pontuou ainda que, assim, a sigla “está em condições de analisar outros nomes da nossa legenda que possam liderar não só o PSDB, mas também importantes setores do centro democrático”.

Também nesta segunda-feira, o presidente do partido, Bruno Araújo, cancelou uma reunião com a executiva nacional marcada para terça-feira (24). Adolfo Viana, líder do PSDB na Câmara, explicou que “seria uma reunião com a presença do ex-governador João Doria, na qual trataríamos das deliberações do encontro que tivemos com o Cidadania e o MDB nos últimos dias”.

“Após o gesto de grandeza de Doria, esta reunião se tornou inócua naturalmente. O presidente Bruno Araújo vai remarcar a reunião para seguirmos alinhados”, complementou.

Sobre isso, Aécio lamentou o adiamento e afirmou que “é hora de aproveitarmos esses últimos acontecimentos para reconstruirmos a unidade do PSDB em torno do único caminho que permitirá que o partido continue a cumprir sua trajetória em defesa do Brasil, ou seja, com uma candidatura própria à Presidência da República”.

Um novo encontro foi agendado para as 11 h do dia 2 de junho, na sede do partido, em Brasília.

Reação no mundo político

Especulada como nome da terceira via para as eleições 2022, Simone Tebet (MDB) avaliou que a desistência de João Doria (PSDB) na corrida pelo Palácio do Planalto era, “de alguma forma, esperada”.

Em uma postagem no Twitter na tarde desta segunda, o presidente Jair Bolsonaro (PL) ironizou a decisão de Doria e disse, em tom de brincadeira, que estava desistindo da disputa do cinturão dos pesos médios do UFC, referindo-se ao Ultimate Fight Championship, o principal torneio de artes marciais mistas do mundo.

Eduardo Leite (PSDB), por sua vez, afirmou que este é um “gesto pela unificação da terceira via”.

Veja outras reações de políticos sobre o anúncio de Doria.

Debate

A CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto, pela TV e por nossas plataformas digitais.

Quem são os atuais pré-candidatos à Presidência

Mais Recentes da CNN