Corregedor do TSE pede que PF aprofunde investigações de fake news sobre urnas

Ministro Luís Felipe Salomão pede que Polícia Federal identifique quem financia a divulgação do conteúdo falso

Urna eletrônica passa por testes no TSE
Urna eletrônica passa por testes no TSE Foto: Reprodução - 29.nov.2020 / CNN

Daniel Adjutoda CNN

Ouvir notícia

O Corregedor-geral da Justiça Eleitoral, ministro Luís Felipe Salomão, oficiou a Polícia Federal para que aprofunde as investigações sobre impulsionamento de notícias falsas envolvendo a urna eletrônica e o voto impresso e identifique quem financia a divulgação do conteúdo falso. O ministro determinou que a PF faça novas diligências. A medida é uma das primeiras tomadas no inquérito administrativo aberto pelo Tribunal Superior Eleitoral na última segunda-feira.

O corregedor-geral solicitou ainda a degravação da live em que o presidente Jair Bolsonaro prometeu apresentar provas de supostas fraudes na urna eletrônica em eleições anteriores. A transmissão foi feita na última quinta-feira. A diligência já está em andamento.

A investigação conduzida por Luís Felipe Salomão no TSE foi ampliada após a abertura do inquérito. Ela apura os crimes de abuso de poder econômico e político, uso indevido dos meios de comunicação social, corrupção, fraude e condutas vedadas a agentes públicos e propaganda antecipada em relação aos ataques contra o sistema eletrônico de votação. As ameaças à realização do pleito de 2022 também entraram no escopo na investigação.

O TSE aguarda uma resposta do ministro Alexandre de Moraes para que o presidente Jair Bolsonaro seja investigado no inquérito das fake news no Supremo Tribunal Federal. O pedido ao STF também foi aprovado por unanimidade pelo TSE.

Mais Recentes da CNN