Corregedoria do MPF abre sindicância para apurar ações da Lava Jato em SP

Investigações devem ser concluídas em 30 dias

Giulia Pereira* e Julyanne Jucá

Da CNN, em São Pu

Ouvir notícia

A Corregedoria Geral do Ministério Público Federal oficializou nesta terça-feira (4) a abertura de uma sindicância para apurar ações administrativas da operação Lava Jato em São Paulo, sob pretexto de verificar o estrito cumprimento da distribuição de processos entre os procuradores da Força Tarefa. 

No último dia 29 de junho, a força-tarefa da Lava Jato em São Paulo tornou públicas as informações dadas ao Conselho Nacional do Ministério Público, após uma declaração do procurador-geral da República, Augusto Aras, insinuar que os procuradores estavam mantendo documentos por fora do MPF.

Leia e assista também

Após crítica de Aras, Lava Jato em SP divulga informações prestadas ao CNMP

Augusto Aras: ‘É hora de corrigir rumos para que o lavajatismo não perdure’

Lava Jato rebate Aras e nega ‘caixas de segredo’ da força-tarefa

A apuração já havia sido solicitada pela Corregedoria na semana passada, e terá o prazo de 30 dias para ser concluída, a serem contados a partir de 30 de julho — data de instalação dos trabalhos. A responsável pela sindicância será a procuradora regional Raquel Branquinho.

Depois da finalização do processo, um parecer deverá ser ser elaborado e encaminhado pela Comissão de Inquérito Administrativo, designada aos procuradores regionais Antônio Welter, João Villar e Claudio Fontella, à corregedoria. 

A força-tarefa da Lava Jato explicou que “sindicâncias são abertas para apurar fatos de maneira preliminar” e que os procuradores estão à disposição para prestar esclarecimentos adicionais caso a corregedoria os peça.

(*Sob supervisão de Julyanne Jucá)

Mais Recentes da CNN