Corregedoria-Geral Eleitoral abre procedimento para apurar uso do PTB em ataques

O órgão, vinculado ao Tribunal Superior Eleitoral, já começou a fazer diligências, ainda não trazidas à público pela Justiça Eleitoral

O ex-deputado federal e presidente do PTB, Roberto Jefferson, fala à CNN
O ex-deputado federal e presidente do PTB, Roberto Jefferson, fala à CNN Foto: CNN (27.mai.2020)

Basília Rodriguesda CNN

Ouvir notícia

A Corregedoria-Geral Eleitoral abriu procedimento para apurar acusação de que o presidente do PTB, o ex-deputado federal Roberto Jefferson, preso nesta sexta-feira, usou recursos públicos para disseminar mentiras e ataques a ministros da Suprema Corte.

O órgão, vinculado ao Tribunal Superior Eleitoral, já começou a fazer diligências, ainda não trazidas à público pela Justiça Eleitoral.

O desdobramento eleitoral ocorre depois que o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes enviou ao TSE – por meio do corregedor, o ministro Luís Felipe Salomão – e também à Procuradoria Geral Eleitoral informação sobre “possível utilização da condição de Presidente de Partido Político, com a consequente utilização de recursos do fundo partidário, para incorrer nas condutas” criminosas, entre elas, injúria, difamação, calúnia e organização criminosa.

Diante das possíveis penalidades que Roberto Jefferson e o PTB podem sofrer, integrantes do partido adotaram discurso moderado após a prisão do presidente da legenda.

Moraes ressalta que os órgãos eleitorais poderão tomar providências. Ele destaca algumas, em sua decisão, como “suspensão do exercício de função pública ou de atividade de natureza econômica ou financeira quando houver justo receio de sua utilização para a prática de infrações penais”.

Mais Recentes da CNN