Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Eleições 2022

    Corrente do PT defende ampliação de alianças e união das oposições contra Bolsonaro

    Texto fala em federação partidária do PT que inclua ao menos PCdoB e PV, além de coligações com PSB e PSOL-Rede

    Caio Junqueirada CNN

    A corrente majoritária do PT Construindo Um Novo Brasil apresentou na reunião do diretório nacional, que ocorre nesta quinta-feira (24), um documento no qual defende a ampliação de alianças em torno da candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) de forma que ela tenha como característica formar um “movimento” que incorpore ao máximo setores e segmentos da sociedade e que una as oposições contra o presidente Jair Bolsonaro (PL).

    “As convergências existentes entre os partidos de esquerda, progressistas e democráticos devem resultar, no nosso entendimento, na constituição de uma federação partidária em que ao menos nós, o PCdoB e o PV façamos parte. Esta federação apresentará ao Brasil o nome de Lula para liderar a oposição a Bolsonaro, consolidará a coligação com o Partido Socialista Brasileiro, bem como com a federação PSOL-Rede, cuja criação saudamos. Ainda seguiremos dialogando com os outros partidos de oposição ao governo Bolsonaro no sentido da ampliação do campo de apoio à candidatura de Lula”, diz o documento.

    O texto fala também em união das oposições contra o presidente Jair Bolsonaro.

    “A candidatura de Lula deverá trazer, já na composição da chapa de presidente e vice-presidente, a ampliação e a unidade que se espera das forças de oposição ao governo nesta quadra da história. (…) Faremos, a partir de um núcleo democrático-popular, a incorporação de setores e segmentos que serão imprescindíveis neste movimento político que estamos construindo. Quem outrora não esteve conosco é mais do que bem-vindo a participar deste movimento que devolverá a cadeira de presidente da República ao povo”, diz o documento.

    Diz ainda que “todas e todos que decidirem pelo enfrentamento a Bolsonaro como prioridade política dos próximos meses terão no PT um aliado para aquela que será a eleição mais importante que já enfrentamos”.

    “Conclamamos a unidade dos setores democráticos ao redor não apenas de uma candidatura à presidência da República, mas também de um movimento político e social que derrote Bolsonaro e enfrente o bolsonarismo, aquele que é o principal vírus em circulação na política brasileira desde 2018, para construir um país soberano, justo, democrático e com sustentabilidade.”

    A ala majoritária do PT diz ainda que “para derrotar o bolsonarismo é preciso dar uma resposta de unidade da sociedade brasileira” e defende a ampliação ao máximo de alianças na candidatura Lula.

    “O PT não medirá esforços para agrupar e expandir as alianças que pavimentam este campo, sabendo compor em uma mesma tática nacional a pluralidade de movimentos e candidaturas que porventura existam nos estados sem que isto faça enfraquecer o principal objetivo desta eleição. Da mesma forma como ninguém conhece mais do que Lula as aflições do povo brasileiro, também é nele que reside o potencial de unidade nacional contra Bolsonaro.”