CPI aprova convocação de representantes de Facebook, Google e Twitter

Em votação simbólica, senadores aprovaram requerimentos para ouvir redes sociais sobre medidas para conter disseminação de notícias falsas em suas plataformas

CPI da Pandemia aprovou quase 60 requerimentos nesta quarta-feira (23)
CPI da Pandemia aprovou quase 60 requerimentos nesta quarta-feira (23) Foto: Jefferson Rudy - 23.jun.2021/Agência Senado

Murillo Ferrari, da CNN, em São Paulo, e Bia Gurgel, da CNN, em Brasília

Ouvir notícia

A CPI da Pandemia aprovou nesta quarta-feira (23) requerimentos para convocar representantes de Facebook, Google (que controla o YouTube) e Twitter.

A análise dos requerimentos foi feita em bloco, seguindo proposta do relator Renan Calheiros (MDB-AL), com aprovação simbólica por todos os membros da comissão.

O vice-presidente da CPI, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), argumentou nos requerimentos que empresas devem responder a respeito das medidas tomadas para conter a disseminação de notícias falsas em suas plataformas “que geram consequências reais e dificultam o combate à pandemia”.

Quando os requerimentos foram apresentados na semana passada, senadores reforçaram as críticas às falas do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) durante transmissão nas redes sociais com informações contrárias a evidências científicas no combate à Covid-19.

A aposta na imunidade de rebanho por meio da infecção, alinhada à demora na compra de vacinas, é uma das linhas de investigação da CPI.

Em “live” transmitida na quinta-feira passada (17), Bolsonaro afirmou que “todos que contraíram o vírus estão vacinados” e que a contaminação é mais eficaz do que a própria vacinação porque “pegou o vírus para valer”.

“Recentemente, estamos vendo o movimento de interrupção de exclusão de conteúdos falsos ou desinformativos pelas plataformas da empresa, de modo que é essencial que representante da empresa Facebook, que gerencia uma série de plataformas de compartilhamento de conteúdo, compareça a esta Comissão para esclarecer os motivos para a mudança de comportamento”, justificou Randolfe, em seu pedido de convocação.

Outro requerimento, também de autoria de Randolfe, pede ainda que o Twitter forneça informações sobre contas de usuários que foram excluídas da rede a partir de 14 de junho por disseminação disseminavam informações falsas sobre o enfrentamento ao coronavírus – como antecipado pelo âncora da CNN, Daniel Adjuto.

(Com informações do Estadão Conteúdo)

Mais Recentes da CNN