CPI da Pandemia ouvirá servidora apontada por autorizar compra da vacina Covaxin

Regina Célia Oliveira foi citada em depoimento de Luis Miranda

Tainá Farfan, da CNN, em Brasília

Ouvir notícia

Os senadores da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia vão abrir os trabalhos da décima semana ouvindo a servidora do Ministério da Saúde Regina Célia Silva Oliveira.

Ela é apontada pelo deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) e pelo irmão deste, o servidor do Ministério da Saúde Luis Ricardo Miranda, como a responsável por autorizar e fiscalizar a importação de 20 milhões de doses do imunizante indiano Covaxin, mesmo diante das divergências em relação ao contrato inicial. 

Já na quarta-feira (7), a comissão deve ouvir o ex-diretor de logística do Ministério da Saúde Roberto Dias, que foi acusado pelo vendedor Luiz Paulo Dominghetti de pedir propina de US$ 1 por dose de vacina. 

O depoimento de quinta-feira (8) seria do líder do governo Ricardo Barros (Progressistas-PR), mas foi adiado pelo presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM). Quem fala é a Diretora da Diretoria de Integridade (Dinteg) do Ministério da Saúde, Carolina Palhares Lima, responsável por fiscalizar internamente os atos da pasta.

Desentendimento do deputado Luis Miranda e do senador Marcos do Val
O deputado Luis Miranda (DEM-DF) e o senador Marcos do Val (Podemos-ES) durante sessão da CPI da Pandemia (25.jun.2021)
Foto: Reprodução / CNN

Por fim, a sessão secreta com o ex-governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel (PSC) acontece na sexta-feira (9), que promete falar sobre a interferência do governo federal no combate à pandemia no Rio. 

Mais Recentes da CNN