Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    CPI das Pirâmides: Ronaldinho não responde ao ser questionado se acredita na qualidade dos produtos que anuncia

    Ex-jogador optou por ficar em silêncio após questionamento do deputado Alfredo Gaspar (União Brasil-AL)

    Ronaldinho na CPI das Criptomoedas
    Ronaldinho na CPI das Criptomoedas Reprodução

    Marina Toledoda CNN

    em São Paulo

    O ex-jogador Ronaldinho Gaúcho optou por ficar em silêncio quando foi questionado se acredita na qualidade dos produtos que anuncia durante seu depoimento à CPI das Criptomoedas, também conhecida como CPI das Pirâmides, nesta quinta-feira (31).

    Após a resposta, o deputado Alfredo Gaspar (União Brasil-AL) perguntou: “Se o senhor acredita naquilo que anuncia, por que vai ficar em silêncio?”. Ronaldinho respondeu novamente que ficaria em silêncio.

    Em seguida, o parlamentar voltou a questionar o ex-jogador, perguntando se quando há uma publicidade com a imagem do campeão do mundo ela representa um profissional que ganha dinheiro qualquer custo ou um profissional com uma excelente imagem por causa do futebol. “Vou ficar em silêncio”, respondeu.

    A CPI investiga a 18k Ronaldinho por suposto esquema de pirâmide que prometia até 400% de lucro por mês por meio de investimento em criptomoedas. O jogador negou que seja fundador e sócio-proprietário da empresa e afirmou que a sua imagem e nome foram usados de forma indevida. 

    Quando foi questionado sobre a propaganda de rendimentos da 18k Ronaldinho, ele também optou por ficar em silêncio.

    O ex-jogador disse que firmou, em 2016, um contrato com uma empresa chamada 18k Watch Corporation para licenciar sua imagem para a criação de uma linha de relógios.

    Em 2019, ele teria assinado um contrato com a 18k Watch Comércio Atacadista e Varejista de Negócios de licença temporária de uso de imagem, nome, assinatura, apelido e som de voz para divulgação de uma empresa de marketing multinível.

    “Esse contrato previa a comercialização de outros produtos além dos relógios. Logo após a assinatura, chegou ao conhecimento do meu irmão que o senhor Marcelo [Lara, dono da empresa] estava utilizando indevidamente a minha imagem em uma empresa sem qualquer autorização”, disse.

    Segundo o jogador, Marcelo Lara havia registrado na junta comercial uma empresa de nome 18k Ronaldinho Comercio e Participações LTDA. Ele disse que nunca autorizou essa empresa a utilizar seu apelido na razão social da empresa.

    Ele afirmou que espera que os proprietários da empresa 18k Ronaldinho sejam responsabilizados e que a companhia “manchou” o nome dele.

    “Gostaria muito mesmo que eles fossem pegos, porque eles mancharam meu nome, usaram indevidamente meu nome. Fico muito triste pelas pessoas que foram enganadas, gostaria de poder ajudar de alguma forma.”

    Veja também: 123milhas é crime de pirâmide, diz presidente da CPI das Criptomoedas