CPI poderá quebrar sigilo fiscal de pastores, diz presidente da comissão de educação no Senado

De acordo com Marcelo Castro (MDB), uma "CPI do MEC" seria um instrumento valioso para contornar a atual crise na educação.

Thiago FélixNathallia Fonsecada CNN

Ouvir notícia

O presidente da Comissão de Educação no Senado, senador Marcelo Castro (MDB), comentou nesta quarta-feira (22), em entrevista à CNN, a prisão do ex-Ministro da Educação, Milton Ribeiro. De acordo com Castro, uma “CPI do MEC” seria um instrumento valioso para contornar a atual crise na educação.

“Pode ajudar muito [uma CPI], porque é um instrumento muito forte. A comissão tem validade de polícia, as pessoas são obrigadas a comparecer, elas prestam depoimento sob juramento e você também pode quebrar o sigilo dessas pessoas” disse o senador.

Como exemplo, Castro citou pastores acusados de operar um sistema paralelo dentro do MEC. “Você quebrar um sigilo bancário de um pastor desse e encontrar uma montanha de dinheiro, isso é um escândalo”, diz, destacando o poder político das comissões.

O ex-ministro da Educação Milton Ribeiro foi preso preventivamente, nesta quarta-feira (22), em Santos. O mandado foi expedido no âmbito de uma operação da Polícia Federal (PF) deflagrada nesta quarta.

O presidente da comissão ainda reforçou que esta não é a primeira vez que o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) corre riscos de desvio.

De acordo com a PF, a operação “Acesso Pago” tem o objetivo de investigar a prática de tráfico de influência e corrupção para a liberação de recursos públicos do FNDE.

Mais Recentes da CNN