Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Defesa de Bolsonaro diz à CNN que alertou Cid a devolver joias antes de decisão do TCU

    "Tem que devolver imediatamente", diz mensagem encaminhada ao ex-ajudante de ordens

    Mauro Cid foi ajudante de ordens do ex-presidente Jair Bolsonaro
    Mauro Cid foi ajudante de ordens do ex-presidente Jair Bolsonaro 18/06/2019REUTERS/Adriano Machado

    Leandro Magalhãesda CNN

    São Paulo

    A defesa do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou à CNN que havia alertado o ex-ajudante de ordens Mauro Cid para que devolvesse as joias recebidas como presente em viagem oficial à Arábia Saudita antes da decisão do Tribunal de Contas da União (TCU).

    O TCU determinou no dia 15 de março de 2023 que o ex-presidente devolvesse joias recebidas pela Arábia Saudita e as armas presenteadas pelos Emirados Árabes Unidos.

    A CNN teve acesso às mensagens enviadas pelo ex-secretário de Comunicação e atual advogado de Jair Bolsonaro, Fábio Wajngarten, ao tenente-coronel à época.

    No dia 9 de março de 2023, às 12h59, o advogado encaminhou duas mensagens para o tenente-coronel Mauro Cid: “Tem que devolver imediatamente” e “É impressionante como ninguém pensa”, se referindo às joias.

    As mensagens aparecem como visualizadas no aplicativo de WhatsApp.

    No dia 11 de agosto, nas redes sociais, Fábio Wajngarten afirmou que ele sugeriu a entrega antecipada dos objetos antes do pedido formal do tribunal.

    “Quando disse que se devia ‘antecipar’ a entrega dos objetos estou me referindo a uma remessa antecipada à Corte, antes de um pedido formal do TCU, que, aliás, acabou ocorrendo. Reitero: sugeri antecipar e entregar ao tribunal. Só isso. (…) Qualquer outra interpretação está eivada de má vontade ou de uma frustrada tentativa de envolver meu nome em ações que desconhecia”, afirmou Wajngarten.

    VÍDEO – Cid foi alertado por ex-chefe de gabinete sobre venda de presentes