Demissão de Mandetta seria um desastre e um risco para a saúde, diz Doria

O governador do Estado de São Paulo, João Doria, durante coletiva de imprensa sobre o combate ao coronavírus. São Paulo, 09 de abril de 2020.
O governador do Estado de São Paulo, João Doria, durante coletiva de imprensa sobre o combate ao coronavírus. São Paulo, 09 de abril de 2020. Foto: Governo do Estado de São Paulo.

Pedro Duran

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Questionado por repórteres na coletiva de imprensa desta quarta-feira, o governador de São Paulo, João Doria, comentou a possível saída do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

“Considero um desastre se tivermos a saída do ministro Luiz Henrique Mandetta e um risco para a saúde pública. É um risco de não termos mais uma orientação técnica e baseada na ciência e na medicina, mas política e ideológica”, disse ele.

Doria afirmou ainda que tem mantido uma relação estreita com o Ministério da Saúde e seus integrantes – o que foi endossado pelo chefe do comitê de contingência ao coronavírus no Estado, Davi Uip. O infectologista disse que o governo mantém “boas relações republicanas” com a pasta.

O secretário estadual de Saúde, José Henrique Germann, também comentou o assunto. “Desde o início do nosso mandato fomos estreitando gradativamente as relações com o ministério tanto na pessoa do ministro como de seus secretários”, afirmou. “É um erro estratégico por parte do governo alterar essa equipe de trabalho que está absolutamente engajada e conhece profundamente os problemas que estamos vivendo no país”, completou.

Doria ainda lamentou o pedido de demissão Do secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Wanderson de Oliveira. “Nós lamentamos bastante que isso tenha ocorrido, perdemos um guerreiro que tem ajudado a saúde pública brasileira”, afirmou o governador de São Paulo.

Doações de alimentos

O governo vai começar nesta quarta-feira a distribuir 1 milhão de cestas de alimentos compostas por itens doados por empresas que atuam no Brasil. As primeiras 20 mil cestas serão entregues a famílias que moram na cidade de São Paulo. A meta é entregar todas até dia 30 de abril. A cesta contém alimentos como feijão, leite em pó, sardinha, linguiça, ervilha, milho verde, biscoitos, sal e açúcar.

A gestão Doria já arrecadou R$367 milhões de reais em doações para enfrentar a pandemia do coronavírus. Eles estão recebendo itens de higiene pessoal para montar um segundo tipo de cesta.

Mais Recentes da CNN