Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Desastres naturais geraram prejuízo de R$ 639,4 bilhões aos municípios, diz estudo

    Pesquisa da Confederação Nacional dos Municípios (CNM) levou em consideração os desastres registrados de 2013 a 2023

    Segundo levantamento, desastres afetaram 5.233 cidades em 11 anos
    Segundo levantamento, desastres afetaram 5.233 cidades em 11 anos 13/5/2024 REUTERS/Diego Vara

    Leonardo Ribbeiroda CNN

    Brasília

    Nos últimos 11 anos o Brasil teve prejuízo de R$ 639,4 bilhões por conta de desastres naturais. É o que mostra uma pesquisa da Confederação Nacional dos Municípios (CMN), divulgada nesta segunda-feira (20).

    Ao longo do período, segundo o levantamento, os desastres afetaram 5.233 cidades e 418,3 milhões de pessoas. Foram registrados 2.667 óbitos.

    Esse recorte considera que uma mesma pessoa pode ser afetada por desastres mais de uma vez ao longo dos anos.

    Do total dos prejuízos, quase R$ 191 bilhões teriam sido provocados pelas chuvas. Já a seca e a estiagem seriam responsáveis por danos de R$ 347,4 bilhões.

    “Os dados revelam a urgência nas ações integradas entre os entes federados nas ações de prevenção e gestão de riscos e desastres”, disse o presidente da entidade, Paulo Ziulkoski.

    De acordo com o estudo, a agricultura foi o setor mais afetado pelos desastres entre 2013 e 2023, com prejuízos que chegam a R$ 271 bilhões. Em seguida, estão a pecuária (R$ 86,6 bilhões), as instalações públicas de saúde (R$ 85,8 bilhões), o abastecimento de água potável (R$ 45,3 bilhões), as obras de infraestrutura (R$ 38,9 bilhões) e habitação (R$ 36,2 bilhões).

    A pesquisa revela ainda que apenas 22,6% dos gestores locais consideram seus municípios preparados para enfrentar o aumento desses eventos.

    O principal motivo, alegado por 94,1% dos entrevistados, é a falta de recursos financeiros para essa finalidade. Além disso, 74,5% atribuíram o cenário pessimista à falta de capacitação técnica.

    A Confederação Nacional dos Municípios calcula que no período analisado o governo federal autorizou R$ 9,5 bilhões no orçamento em repasses para ações de gestão de riscos, prevenção, preparação, resposta a desastres e reconstrução de áreas danificadas e destruídas. No entanto, somente um terço teria sido pago.

    “A CNM destaca que, desconsiderando os restos a pagar e analisando apenas o que foi efetivamente pago, o governo federal repassou apenas R$ 3 bilhões aos municípios para ações de proteção e defesa civil, o que representa somente 32% do valor do valor prometido”, apontou trecho do relatório.

    Evento

    Até quinta-feira (23), prefeitos de todo o país participam em Brasília da XXV Marcha em Defesa dos Municípios. A solenidade oficial de abertura ocorre nesta terça-feira (21).

    Conforme a organização, são esperados o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), e os presidentes da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), além de ministros de Estado e outras autoridades.