Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    “Dinheiro bom é dinheiro transformado em obras”, diz Lula em reunião com ministros

    Presidente defende investimento público em meio a debate sobre déficit fiscal zero e pressão por liberação de recursos no ano eleitoral de 2024

    Lucas Mendesda CNN

    em São Paulo

    O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse nesta sexta-feira (3) que o “dinheiro bom” é o “transformado em obras”, ao defender o investimento público em infraestrutura.

    “Se o dinheiro estiver circulando e gerando emprego é tudo o que um político quer e um presidente deseja”, afirmou Lula, em reunião com ministros do governo, no Palácio do Planalto.

    Conforme o presidente, não se pode deixar “sobrar” o dinheiro que seria investido nos ministérios.

    A fala foi feita em um contexto de debate sobre déficit fiscal zero e pressão por liberação de recursos no ano eleitoral de 2024.

    Lula citou a aprovação do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e disse aos ministros que “todo mundo tem o compromisso” e que “ninguém precisa inventar nada novo” no país. “Temos até 2026 para que a gente construa parte dessas obras.”

    “Se os ministérios forem bem, o Brasil vai bem, o governo vai bem”, disse Lula. “Se vocês não fizerem direito, o Brasil vai mal e acabamos mal. Então queremos que vocês sejam os melhores ministros desse país, os melhores gastadores de dinheiro em obras para o povo brasileiro”.

    O debate sobre a manutenção de obras de infraestrutura está relacionado com a meta de déficit fiscal zero em 2024.

    A equipe econômica defendia a meta que busca um equilíbrio entre receitas e despesas. Para cumprir esse compromisso, pode ser preciso desacelerar investimentos, o que pode comprometer o andamento de obras.

    O presidente Lula, no entanto, disse na semana passada que “tudo o que puder fazer para cumprir a meta fiscal”, irá fazer. Mas, que “ela não precisa ser zero”. O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, já afirmou que mantém a busca pelo equilíbrio fiscal, mas não deu declarações sobre mudanças na meta.

    Há também um contexto de pressão sobre a liberação de recursos para obras para o ano eleitoral de 2024, quando serão eleitos prefeitos e vereadores nos municípios brasileiros.

    Essa foi a terceira reunião do presidente com ministros da área de infraestrutura neste ano. O primeiro encontro aconteceu em março e o segundo em setembro de 2023.

    A reunião desta sexta-feira (3) contou com a presença do vice-presidente, Geraldo ALckmin (PSB), além dos ministros Fernando Haddad, da Fazenda; Renan Filho, dos Transportes; Silvio Costa, de Portos e Aeroportos; Alexandre Silveira, de Minas e Energia; Juscelino Filho, das Comunicações; Waldez Góes, da Integração e do Desenvolvimento Regional; Jader Filho, das Cidades; e Paulo Pimenta, da Secretaria de Comunicação (Secom).

    Veja também: Lula anuncia Garantia da Lei e da Ordem em portos e aeroportos do RJ e de SP