Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Dois Lados: Deputados debatem resistência do governo à CPI dos Atos Criminosos

    Os deputados federais Lincoln Portela (PL-MG) e Ivan Valente (PSOL-SP) debateram no quadro Dois Lados sobre como o governo federal tenta evitar a abertura da CPI por receio que ela possa adiar pautas da agenda positiva

    Fernanda PinottiRenata SouzaLudmila Candalda CNN

    em São Paulo

    O governo federal tenta evitar a abertura da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Atos Criminosos, que investigaria o ataque às sedes dos Três Poderes no dia 8 de janeiro. A base do governo tem receio que a abertura da CPI possa adiar pautas da agenda positiva do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

    Os deputados federais Lincoln Portela (PL-MG) e Ivan Valente (PSOL-SP) debateram no quadro Dois Lados sobre a resistência do governo federal à CPI dos Atos Criminosos.

    Portela acredita que a Comissão será aberta e terá prioridade na pauta de ambas as casa do Congresso, já que seria uma comissão mista, com a participação de deputados e senadores.

    “Em nada a CPI atrapalharia a agenda positiva, pois ela poderia seguir normalmente”, disse o deputado do PL.

    Ele acredita que a investigação por parte do Congresso seria importante para apurar a responsabilidade “tanto do lado A, como do lado B”. “Os extremados, tanto da direita, como possíveis infiltrados comunistas devem ser investigados e punidos.”

    “O que aconteceu não foi uma tentativa de golpe, e sim uma série de erros de diversas pessoas”, falou. Segundo Portela, muitas pessoas inocentes foram presas sem terem participado dos atos criminosos.

    O deputado Ivan Valente acredita que a CPI dos Atos Criminosos não irá para frente e nem deveria ir.

    “A tentativa de golpe no dia 8 foi amplamente filmada, fotografada e já está sendo investigada pela Polícia Federal (PF), pelo Ministério Público Federal (MPF) e pelos órgãos internos do Exército e da Polícia Militar. Já tem gente presa, e a investigação tem que chegar aos grandes financiadores.”

    “Essa CPI não é necessária, ela só serve para tentar mudar a agenda propositiva do governo no Congresso. Espero que ela não saia do papel, pois não tem função”, disse.

    O deputado do PSOL afirmou que o governo federal não tem medo de uma investigação sobre o dia 8 de janeiro, já que esteve à frente da intervenção federal na segurança do DF logo após o ataque. “Mas não é a CPI que vai descobrir os grandes financiadores, é a PF que já está fazendo este rastreamento.”

    Valente ainda acrescentou que não houve nenhum “infiltrado comunista” nessa tentativa de golpe, e que o ataque aos Três Poderes aconteceu apenas pela recusa do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) em aceitar o resultado das urnas. “Isso é um delírio da direita.”

    Confira o debate completo no vídeo acima.