Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    “É um bom nome, mas ainda é cedo”, diz Nunes sobre ter ex-coronel como vice em SP

    Prefeito de SP se reúne nesta segunda-feira com o presidente nacional do PL, Valdemar Costa Neto, para discutir nome Ricardo Mello Araujo

    Ricardo Nunes, prefeito de São Paulo
    Ricardo Nunes, prefeito de São Paulo Wilson Dias/Agência Brasil

    Gustavo Uribe

    O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), avalia que o ex-coronel Ricardo Mello Araujo seria um “bom nome” para ocupar o posto de candidato a vice-prefeito em sua chapa à reeleição.

    Nunes, no entanto, ponderou à CNN que “ainda é muito cedo” para uma definição. Em live nas redes sociais, Jair Bolsonaro sinalizou preferência pelo ex-comandante da Rota, que também foi diretor da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) durante a gestão do ex-presidente da República.

    “Não recebi a indicação oficialmente. É um bom nome, tem muitas qualidades. Mas ainda é muito cedo pra definir essa questão”, disse Nunes.

    O prefeito disse também que conhece “pouco” Mello Araujo. “Estive com ele duas vezes quando era presidente do Ceagesp. Foram reuniões para tratar de IPTU da Ceagesp e sobre um espaço lá que usamos para acolhimento de pessoas em situação de rua”, afirmou.

    O prefeito de São Paulo tem encontro marcado para a manhã desta segunda-feira (29) com o presidente nacional do PL, Valdemar Costa Neto. A expectativa é de que o nome do ex-coronel seja apresentado.

    Apesar da escolha de Bolsonaro, aliados do prefeito veem com restrição o nome de Mello Araujo. Para eles, o militar empurraria a candidatura de Nunes à direita.

    A avaliação é de que, neste momento, o desafio do prefeito é justamente o de dialogar com um eleitorado de centro, na tentativa de avançar sobre a candidatura do deputado federal Guilherme Boulos, do PSOL.

    Boulos, aliás, almoçou neste final de semana com a ex-prefeita de São Paulo Marta Suplicy, que deve ocupar o posto de candidata a vice-prefeita de sua candidatura.

    Com informações de Matheus Meirelles, da CNN