Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Efetivo policial foi reduzido pela metade no 8 de janeiro, diz coronel da PM-DF

    Cíntia Queiroz de Castro foi ouvida pela CPI que investiga os atos criminosos em Brasília na quinta-feira (27) e afirmou que número de policiais caiu de 400 para 200 durante os ataques

    Da CNN

    Em depoimento prestado na última quinta-feira (27), a coronel Cíntia Queiroz de Castro, da Polícia Militar do DF, afirmou que o efetivo policial no dia 8 de janeiro, data dos ataques criminosos em Brasília, foi reduzido pela metade.

    Cíntia, que é subsecretária de Operações Integradas da Secretaria de Segurança Pública do DF, fez a afirmação durante depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara Legislativa do Distrito Federal (DF) que investiga os ataques contra as sedes dos Três Poderes em Brasília.

    “As informações que passei ao Fernando [delegado Fernando de Sousa Oliveira, braço direito de Anderson Torres no comando da Secretaria de Segurança Pública quando Torres estava fora do país durante os ataques em Brasília] foram às 6h, às 8h e às 9h da manhã. Nesse momento, a gente tinha em torno de 20 a 25 manifestantes e cerca de 400 policiais”, disse a coronel.

    Questionada sobre o motivo da queda para 200 policiais à tarde, Cíntia diz que “só o Departamento de Operação ou o comando é que pode explicar isso”.

    “No momento, vou provar que o planejamento foi cumprido e que, se houve algum tipo de prevaricação, não foi de minha parte”, disse a coronel da PM-DF em depoimento.

    No dia dos atos do 8 de janeiro, Cíntia Queiroz ocupava o mesmo cargo atual, de subsecretária de Operações Integradas da Secretaria de Segurança Pública do DF. Ela tinha a função de operacionalizar e organizar a proteção do DF, como a das vias públicas, no caso de um grande evento.

    (Publicado por Gustavo Zanfer, com informações de Leandro Resende)