Eleições: TSE já enviou ao WhatsApp mais de mil denúncias de disparos em massa

Ao todo, o canal recebeu 1.037 denúncias, mas 17 foram descartadas por não estarem relacionadas às eleições

Carolina Figueiredo*, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia
Aplicativo, WhatsApp
Aplicativo WhatsApp
Foto: Thomas White – 28.mai.2020/Reuters 

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) enviou ao aplicativo WhatsApp 1.020 denúncias sobre contas que estariam fazendo disparo em massa de mensagens sobre as eleições deste ano.

Os casos foram registrados entre 27 de setembro e 26 de outubro deste ano e fazem parte do Programa de Enfrentamento à Desinformação, parceria entre o TSE e a empresa para combater a proliferação de notícias falsas no pleito de 2020.

Ao todo, o canal recebeu 1.037 denúncias, mas 17 foram descartadas por não estarem relacionadas às eleições. O anúncio dos dados foi feito em um evento virtual nesta quarta-feira (28). 

Das denúncias enviadas pelo TSE, o WhatsApp identificou que 720 eram contas válidas e não duplicadas. Deste número, 256 foram banidas por violação dos Termos de Serviço da plataforma, número que corresponde a mais de 35% das contas válidas enviadas pelo tribunal.

O WhatsApp afirma que, do total de contas banidas, mais de 80% foram derrubadas de forma proativa e automática pelo sistema de integridade do aplicativo, antes mesmo de serem reportadas.

“Gostaria de reforçar a importância dessa plataforma de denúncia, que permite que qualquer pessoa aponte contas suspeitas de disparo em massa. Assim, além da denúncia dentro do próprio aplicativo, é possível enviá-la ao TSE. Essa aliança já vem mostrando resultados positivos para o pleito brasileiro”, afirmou Dario Durigan, diretor de Políticas Públicas do WhatsApp no Facebook Brasil.

A secretária-geral da Presidência do TSE, Aline Osorio, frisou que os responsáveis pelo envio das mensagens podem ser punidos, mas não deu mais detalhes. 

Em uma resolução de 2019, o tribunal proibiu a contratação de disparo em massa de propaganda eleitoral na internet por parte dos candidatos. 

A discussão sobre o uso de meios digitais durante as campanhas ganharam força no Brasil a partir das eleições de 2018. No ano passado, o WhatsApp informou a CPMI das Fake News, criada no Senado para investigar o envio de notícias falsas, que baniu mais de 400 mil contas brasileiras durante as eleições gerais de 2018 por práticas que violam os termos do serviço.

Além do canal de denúncias, a parceria entre o TSE e o WhatsApp também inclui o “Tira-dúvidas no WhatsApp”, um chatbot para facilitar o acesso dos eleitores a informações relevantes sobre as eleições, e a realização de cursos de capacitação para servidores dos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) sobre como combater a desinformação nas plataformas digitais. 

(*Supervisão de Evelyne Lorenzetti)

Mais Recentes da CNN