Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Em ato na Paulista, Bolsonaro sobe em trio exibindo bandeira de Israel

    Ex-presidente participa de manifestação neste domingo (25) ao lado de diversos aliados

    Jair Bolsonaro exibe bandeira de Israel em ato na Avenida Paulista
    Jair Bolsonaro exibe bandeira de Israel em ato na Avenida Paulista 25.02.2024 - Reprodução/Youtube

    Renata Souzada CNN

    São Paulo

    O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) subiu ao trio na manifestação que convocou para a Avenida Paulista neste domingo (25) exibindo a bandeira de Israel.

    Entre os manifestantes, também era possível identificar bandeiras do país do Oriente Médio. Nos arredores, os artigos eram vendidos junto com itens do Brasil.

    A exibição da bandeira israelense no ato pró-Bolsonaro acontece em meio à tensão entre Brasil e Israel, provocada por uma declaração do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) comparando a situação na Faixa de Gaza ao extermínio de judeus durante a Segunda Guerra Mundial.

    “O que está acontecendo na Faixa de Gaza com o povo palestino não existiu em nenhum outro momento histórico. Aliás, existiu. Quando Hitler resolveu matar os judeus”, disse Lula, durante uma entrevista coletiva na Etiópia.

    Após críticas de diversas autoridades israelenses, incluindo o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, o presidente Lula foi declarado persona non grata no país até que se retrate pelas declarações.

    Bandeira do Brasil e de Israel exibidas por manifestante em ato pró-Bolsonaro neste domingo (25) – Foto: 25.02.2024 – Tiago Queiroz/Estadão Conteúdo

    Na semana passada, o assessor especial de assuntos internacionais da Presidência, Celso Amorim, informou à CNN que o atual mandatário não pediria desculpas por criticar o genocídio em Gaza.

    Em entrevista à CBN Recife, na última quarta-feira (21), Bolsonaro criticou as declarações.

    “Uma fala criminosa. Não é infeliz, não. É criminosa, que ofendeu não apenas os judeus, ofendeu a humanidade. O que aconteceu na Segunda Guerra, com a eliminação em câmaras de gás de judeus, não existe na história do mundo. E o Lula compara o Exército de Israel com os nazistas. Chocou o mundo”, disse.

    Também participam do ato diversos aliados de Bolsonaro, como parlamentares e governadores. Estão presentes, por exemplo, os governadores Tarcísio de Freitas (Republicanos), de São Paulo, e Ronaldo Caiado (União Brasil), de Goiás. A ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro abriu o evento e fez uma oração em cima de um trio elétrico

    O ex-presidente é investigado pela Polícia Federal (PF) por uma suposta tentativa de golpe de Estado.

    Valdemar comparece

    Apesar de orientado a não comparecer no ato na Avenida Paulista neste domingo (25), o presidente do Partido Liberal (PL), Valdemar Costa Neto, marcou presença na manifestação de olho nos dividendos políticos com bolsonaristas.

    Proibido de manter contato com Jair Bolsonaro, Valdemar chegou ao trio elétrico antes do ex-presidente. Os dois são investigados no inquérito que apura tentativa de golpe de Estado.

    Na avaliação de pessoas próximas a Valdemar, a ida dele ao ato é ótimo politicamente. Porém, pode aumentar o que consideram uma “perseguição jurídica” contra o presidente do PL.

    “Vim aqui só pra falar pra vocês que vocês transformaram o PL no maior partido do Brasil, disse Valdemar.

     

    (Com informações de Jussara Soares)