Em contraponto a Nogueira, Lula deve se reunir com PP no Nordeste

Para caravana de ex-presidente, dirigentes petistas planejam encontros com lideranças do partido do centrão na Bahia e em Pernambuco

Gustavo Uribeda CNN

Ouvir notícia

Em um contraponto ao senador Ciro Nogueira (PP-PI), que deve assumir a Casa Civil do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) deve se reunir com dirigentes estaduais e federais do PP em caravana pela Região Nordeste.

A série de viagens, que deve ter início já no final deste mês, deve incluir reuniões reservadas do petista com integrantes do partido, que, no âmbito nacional, é próximo do atual governo federal.

 

Além da tentativa de conquistar apoios regionais à sua eventual candidatura, Lula tem como intenção demonstrar publicamente que o PP não é unânime no respaldo a Bolsonaro ou em uma eventual reeleição do presidente.

Segundo dirigentes petistas, na Bahia, Lula programa um encontro com o vice-governador João Leão, do PP. A ideia é que participem da reunião integrantes da bancada federal da sigla.

Em Pernambuco, o petista também deve se reunir com deputados estaduais e federais do partido. O encontro reservado vem sendo costurado por lideranças petistas no estado.

A defesa de dirigentes petistas era também para que Lula aproveitasse a passagem pelo Piauí para se reunir com Ciro Nogueira, presidente nacional do PP. A avaliação, no entanto, é de que a nomeação do senador inviabilizou uma reunião.

Ex-presidente Lula durante discurso
Ex-presidente Lula durante discurso
Foto: Marcelo D. Sants/Framephoto/Estadão Conteúdo

Nas palavras de um dirigente do partido no Nordeste, Bolsonaro terá de reduzir a inflação e diminuir o desemprego caso queira o apoio de lideranças do partido nos estados nordestinos. Ele lembra que, no primeiro trimestre, o Nordeste teve uma taxa de desemprego de 18,6%, a maior desde 2012.

Para as viagens que fará ao Nordeste, Lula planeja fazer um discurso em defesa da vacinação contra o coronavírus e na adoção de políticas sociais para o combate à pobreza, na tentativa de fazer um contraponto a Bolsonaro.

Para evitar aglomerações, a agenda de encontros do petista não será divulgada. A ideia é de que ele participe de reuniões pequenas e fechadas, respeitando as orientações de distanciamento social da OMS (Organização Mundial de Saúde).

Nos últimos meses, Bolsonaro tem intensificado viagens oficiais à Região Nordeste, justamente na tentativa de avançar sobre um eleitorado que, segundo pesquisas de opinião, apresenta maior rejeição ao atual governo na comparação a outras regiões do país.

Mais Recentes da CNN