Em parecer pró-impeachment, relator vê proximidade entre Witzel e investigados

Texto será votado pelos 25 deputados que compõem a comissão que analisa o afastamento de Witzel na quinta-feira (17)

Leandro Resendeda CNN

Ouvir notícia

O relatório da comissão parlamentar que analisa o impeachment do governador Wilson Witzel (PSC) recomenda o prosseguimento do processo. Em 77 páginas, o deputado estadual Rodrigo Bacellar (Solidariedade) descreve “fortes indícios de proximidade” entre empresários que “se locupletaram do dinheiro público” e Witzel. 

O texto será votado pelos 25 deputados que compõem a comissão que analisa o afastamento de Witzel na quinta-feira (17). Depois,o texto seguirá para análise, na semana que vem, no plenário da Alerj, quando será discutido pelos 70 deputados da Casa. 

Leia mais:
Defesa de Witzel pede ao STF retorno ao cargo de governador do Rio

Em diversos trechos, o texto faz referência ao processo de reaqualificação da Organização Social Unir. Proibida de administrar unidades de saúde do estado, a empresa foi reabilitada por Witzel – de acordo com o Ministério Público Federal, por meio de um ajuste ilícito. Indícios de fraudes na contratação dos hospitais de campanha também foram mencionados pelo relator, que recheou o parecer favorável ao impeachment de trechos das denúncias do MPF no âmbito das Operações Favorito e Tris in Idem. 

Bacellar também afirma que Witzel “agiu dolosamente contra os interesses públicos e em benefício de interesses privados” ao abrir mão de usar os mecanismos de controle do Estado e de ir contra informações técnicas que iam na contramão de suas decisões.  

A CNN procurou a defesa de Witzel no processo de impeachment e aguarda posicionamento.

Mais Recentes da CNN