Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Em reunião, TSE propõe parceria com o Telegram para barrar desinformação

    Tribunal já firmou acordos semelhantes com outras plataformas, mas não havia conseguido contato com representantes do aplicativo no Brasil

    Da CNN

    Ouvir notícia

    O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e o representante do Telegram no Brasil, o advogado Alan Campos Elias Thomaz, se reuniram nesta quinta-feira (24) pela primeira vez para discutir formas de colaboração para as eleições de 2022.

    O tribunal já firmou parcerias com outras plataformas, como Facebook, Instagram, WhatsApp e TikTok, mas não havia conseguido contato com o Telegram. As primeiras tentativas foram feitas ainda na gestão do ministro Luís Roberto Barroso, que deixou a presidência do TSE em fevereiro deste ano.

    Por causa do descumprimento de decisões judiciais do Supremo Tribunal Federal, o ministro Alexandre de Moraes chegou a determinar o bloqueio do aplicativo no Brasil em 17 de março. Como a empresa cumpriu as determinações após a suspensão, Moraes decidiu revogá-la no dia 20. O Telegram, um dos principais canais de comunicação do presidente Jair Bolsonaro com seus apoiadores, chegou a se desculpar publicamente por não ter respondido anteriormente.

    O ministro Edson Fachin, que preside o TSE, enviou então um novo convite para que representantes da plataforma se reunissem com o tribunal.

    Nesta quinta-feira (25), uma equipe do TSE apresentou o Programa de Enfrentamento à Desinformação ao representante do aplicativo e propôs um termo de adesão visando uma parceria contra as notícias falsas sobre o processo eleitoral. O tribunal ainda detalhou o conteúdo ideal da cooperação e os procedimentos para a formalização e a manutenção dos canais de contato.

    O TSE tem se preocupado com perfis falsos nas redes sociais e a disseminação de fake news relacionadas especialmente ao sistema eletrônico de votação e às fases do processo eleitoral.

    Segundo o TSE, Thomaz, que representa o Telegram, afirmou que a plataforma está “empenhada no combate à desinformação” e informou que levará a proposta aos executivos da empresa.

    Eleições 2022

    A CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto, pela TV e por nossas plataformas digitais.

    (Publicado por Estêvão Bertoni)

    Mais Recentes da CNN