Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Em última reunião ministerial do ano, Lula pedirá balanço de erros e reforço na agenda doméstica

    Segundo ministros, presidente também pedirá o fim das desavenças públicas no primeiro escalão

    Gustavo UribeTainá Falcãoda CNN

    em Brasília

    O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) avisou a assessores do governo que fará, no início de dezembro, a última reunião ministerial do ano. A intenção do petista é fazer uma espécie de balanço de acertos e erros do primeiro ano de sua gestão. E mais: passar orientações para o próximo ano.

    De acordo com ministros do Palácio do Planalto, na reunião, Lula pretende pedir o fim de desavenças públicas no primeiro escalão.

    A orientação é para que desacertos sejam arbitrados pela Casa Civil, do ministro Rui Costa. Além disso, o petista quer reforço nas agendas domésticas, ou seja, maior quantidade de lançamentos de programas e obras federais.

    A avaliação no governo é de que Lula dedicou em exagero atenção à agenda internacional e se dedicou pouco ao cenário interno. Esse é um fator apontado como crucial para explicar a queda na aprovação da atual gestão.

    Apesar de estar insatisfeito com parte de sua equipe, Lula não vislumbra reforma ministerial a curto prazo. A ideia é que mudanças pontuais sejam feitas apenas em março, caso assessores do governo decidam sair candidatos nas disputas municipais.

    Para disputarem eleições, eles precisam se desincompatibilizar de cargos públicos.

    Com esse foco na política doméstica, Lula levará uma grande comitiva para a COP28, nos Emirados Árabes Unidos, na próxima semana.

    Na comitiva, estarão ministros, diplomatas e congressistas. Os presidentes da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), confirmaram ao Bastidores CNN que também viajarão com Lula.

    O petista quer aproveitar a viagem para fazer uma espécie de road show com empresários. O objetivo é vender uma cartilha de investimentos para empresários estrangeiros para investirem no Brasil.

    O foco será principalmente obras de infraestrutura vinculadas à economia verde e ao PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).

    Quem ficará responsável pela interlocução com empresários será o ministro Rui Costa. Lula deve desembarcar, além dos Emirados Árabes Unidos, no Catar e na Alemanha.

    E como a CNN antecipou, o presidente brasileiro também deve se reunir durante a viagem com o papa Francisco.