Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Embaixada procura Planalto após críticas de Lula a eleições venezuelanas

    Presidente brasileiro classificou como "grave" o fato de Corina Yoris, candidata da oposição, não conseguir registrar candidatura

    Foi a primeira crítica pública e aberta de Lula a Nicolás Maduro, presidente da Venezuela
    Foi a primeira crítica pública e aberta de Lula a Nicolás Maduro, presidente da Venezuela Ricardo Stuckert/PR

    Pedro Teixeirada CNN

    Brasília

    O assessor especial para assuntos internacionais da Presidência da República, Celso Amorim, deve receber nos próximos dias o embaixador da Venezuela no Brasil, Manuel Vadell, para tratar das eleições no país.

    O pedido de reunião foi feito pela embaixada do país comandado por Nicolás Maduro na última quarta-feira (27), um dia depois de o Itamaraty soltar uma nota criticando o fato de Corina Yoris, candidata da oposição, não conseguir registrar candidatura.

    No dia seguinte foi a vez do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) falar sobre o assunto. Ao lado do presidente da França, Emmanuel Macron, o petista classificou a situação como “grave”.

     

    “É grave que a candidata não possa ter sido registrada. Não foi proibida pela Justiça, me parece que ela se dirigiu até o lugar e tentou o computador do local e não conseguiu entrar”, disse.

    Esta foi a primeira crítica pública e aberta de Lula ao presidente venezuelano, Nicolás Maduro.

    Na mesma fala, Lula lembrou que já tinha dito a Maduro que “a coisa mais importante para restabelecer a normalidade na Venezuela era não ter problema no processo eleitoral”.