Ernesto Araújo critica medidas restritivas e ‘tecnototalitarismo’ na ONU

Ministro das Relações Exteriores abordou os temas em reunião do Conselho de Direitos Humanos

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, contestou medidas restritivas adotadas em vários países contra a Covid-19, e referiu-se a elas como “sacrifício da liberdade”, ao participar virtualmente do Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU).

“Sociedades inteiras estão se habituando à ideia de que é preciso sacrificar a liberdade em nome da saúde. Não critico as medidas que tantos países aplicam, mas não se pode aceitar um lockdown do espírito humano, o qual depende fundamentalmente da liberdade e dos direitos humanos para exercer sua plenitude”, disse o ministro brasileiro.

Araújo afirmou ainda que “há uma maré crescente de controle na internet por diferentes atores”, movida, segundo ele, “por motivos econômicos e ideológicos” que precisa ser detida.

“O grande desafio de hoje é o que chamo de ‘tecnototalitarismo’: o bloqueio de plataformas e sites até o controle de conteúdos e informações, das medidas judiciais e leis que criminalizam atividades online até o emprego abusivo ou equivocado de algoritmos. Essas tecnologias têm sido submetidas cada vez mais à censura, vigilância e criação de mecanismos de controle social.”

(Publicado por Daniel Fernandes) 

Mais Recentes da CNN