Ernesto se reúne com Lira; senadores prometem travar pauta do chanceler

Ministro das Relações Exteriores apresentou ao presidente da Câmara um resumo das ações do Itamaraty para ajudar na compra de vacinas e insumos

Igor Gadelhada CNN

Ouvir notícia

Alvo de críticas da cúpula do Congresso Nacional, o chanceler Ernesto Araújo se reuniu na manhã desta quinta-feira (25), em Brasília, com o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL). O encontro, fora da agenda, aconteceu na residência oficial do presidente da Câmara e ocorreu um dia após Lira cobrar que o chanceler assuma a negociação por vacinas com outros países.

Segundo apurou a CNN, Ernesto apresentou ao presidente da Câmara um resumo das ações nas quais o Itamaraty teria trabalhado para ajudar na compra de vacinas e insumos.

Pressão no Senado

No Senado, após cobrarem diretamente a saída de Ernesto Araújo em sessão nesta quarta-feira (25), senadores articulam movimento para aumentar ainda mais a pressão sobre o ministro.

A promessa agora é travar a pauta de interesse do chanceler na Casa, não votando ou rejeitando as indicações para postos diplomáticos feitas por Ernesto e que precisam do aval do Senado.

A avaliação de senadores é de que a saída de Ernesto ajudará a destravar a negociação para importação de vacinas contra a Covid-19 e dos insumos para que o Instituto Butantan e a Fiocruz possam produzir imunizantes.

Aliados do Ernesto admitem que a pressão pela saída do chanceler “aumentou bastante”. Reclamaram, inclusive, que a articulação política do governo abandonou o ministro.
Na sessão de ontem no Senado, nem mesmo lideranças governistas saíram em defesa de Ernesto. O líder do governo na Casa, Fernando Bezerra (MDB-PE), chegou a se inscrever, mas acabou desistindo de falar.

Em sua defesa, Ernesto afirmou aos senadores que fez de tudo para ajudar o Brasil na pandemia e negou dificuldade de relacionamento com a China. O chanceler chegou a ficar com voz embargada em alguns momentos.

Mais Recentes da CNN