Evangélicos contratam pesquisa eleitoral para medir “temperatura”

Segundo a analista da CNN Thais Arbex, lideranças do grupo dizem que resultados divulgados recentemente não "refletem a realidade"

Da CNN

Ouvir notícia

Lideranças evangélicas contrataram uma pesquisa eleitoral para entender como estão posicionados os eleitores deste grupo para as eleições de 2022, de acordo com a analista da CNN Thais Arbex.

O deputado federal Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ), que assumirá a presidência da Frente Parlamentar Evangélica no ano que vem, e o bispo Robson Rodovalho, líder do Sara Nossa Terra, em conversa com a analista, disseram que as pesquisas mais recentes não refletem a realidade.

Para ambos, atualmente, o segmento evangélico está majoritariamente ao lado do presidente Jair Bolsonaro, mas é necessário ter atenção à situação econômica e social do Brasil, já que a base evangélica seria bastante atingida por impactos econômicos negativos.

Ainda segundo Sóstenes e Rodovalho, se esses índices não melhorarem, é possível que alguns dos eleitores passem a votar no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, principalmente devido aos programas sociais de seu governo. Medidas do governo Bolsonaro para reverter esse cenário são o pagamento do Auxílio Brasil e do vale-gás.

Rodovalho também disse que é necessário que o governo olhe para o eleitor da classe média, o “pequeno-empresário”, e ressaltou a necessidade de passar alterações no Congresso, como o Refis.

De acordo com Arbex, Sóstenes e Rodovalho entendem que, em relação à saúde, a pandemia começa a ser controlada, mas que o impacto social e econômico ainda é “muito presente”, impactando diretamente o eleitor evangélico. Assim as pesquisas devem ajudar a entender qual o “comportamento” desse grupo para o ano que vem.

Mais Recentes da CNN