Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Eleições 2022

    Fatos Primeiro: Lula é impreciso ao citar redução de desmatamento na Amazônia nos governos petistas

    Taxa de 80% mencionada por ex-presidente foi registrada em 2012, mas dados do Inpe apurados entre 2004 e 2016, ao longo da gestão do PT, apontam queda de 72% no desmatamento

    Área desmatada na região amazônica do estado do Para
    Área desmatada na região amazônica do estado do Para Foto: Ueslei Marcelino - 11.nov.2016/Reuters

    Salma Freuada CNN

    O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou que houve uma redução de 80% no desmatamento da Amazônia durante os governos do PT. A declaração foi feita em uma publicação no Twitter em 7 de maio.

    A taxa mencionada pelo petista foi de fato registrada pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), mas no período que vai do segundo semestre de 2003 ao primeiro semestre de 2012. Os governos petistas vão de janeiro de 2003 a agosto de 2016, quando a presidente Dilma Rousseff sofreu impeachment. A falta do ex-presidente é, portanto, imprecisa.

    Considerando toda a gestão do partido, a redução no desmatamento da Amazônia não alcançou o número citado por ele. A taxa foi de aproximadamente 72%.

    O que disse Lula?

    Defender a soberania é defender a Amazônia da política de devastação do atual governo. Nos nossos governos, reduzimos em 80% o desmatamento da Amazônia, contribuindo para diminuir a emissão dos gases de efeito estufa que provocam o aquecimento global. #VamosJuntosPeloBrasil

    Lula, em publicação no Twitter, em 7 de maio

    Recorte temporal do Inpe

    A metodologia usada pelo Inpe não permite uma avaliação precisa das taxas de desmatamento durante os governos PT, porque o Prodes, projeto que monitora o desmatamento por corte raso na Amazônia Legal, compila os dados com base no período seco, e não tem estimativa para o ano civil, de janeiro a dezembro.

    Normalmente, os 12 meses usados como base de cálculo vão de agosto de um ano a julho do ano seguinte. A taxa Prodes de 2003, por exemplo, diz respeito ao desmatamento de 1º de agosto de 2002, ainda na gestão de Fernando Henrique Cardoso (PSDB), a 31 de julho de 2003, no governo Lula. O período é uma aproximação, pois as datas das imagens utilizadas não necessariamente respeitam estritamente estes dias.

    Queda do desmatamento

    A primeira contagem feita exclusivamente no período de governo do PT ocorreu do segundo semestre de 2003 ao primeiro de 2004, e apontou uma área desmatada de 27,8 mil quilômetros quadrados.

    O desmatamento em 2016 foi de 7,9 quilômetros quadrados e diz respeito ao segundo semestre de 2015 ao primeiro semestre de 2016. Em agosto do mesmo ano, a ex-presidente Dilma Rousseff sofreu impeachment.

    De agosto de 2003 a agosto de 2016, portanto, houve redução de cerca de 72% na taxa de desmatamento da Amazônia, conforme dados do Prodes. O valor é próximo ao mencionado pelo petista, mas não bate com os 80% citados por ele.

    Ao longo dos governos petistas, a menor taxa de desmatamento foi registrada do segundo semestre de 2011 ao primeiro semestre de 2012. A queda foi de cerca de 83% em comparação com o número de 2004.