FGV diz que comissão vai avaliar questionamentos sobre tese de Decotelli

Indicado ao Ministério da Educação foi acusado de plágio em dissertação de mestrado

O economista Carlos Alberto Decotelli da Silva fala aos jornalistas
O economista Carlos Alberto Decotelli da Silva fala aos jornalistas Foto: CNN (25.jun.2020)

Anna Satie, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

A FGV (Fundação Getúlio Vargas) informou nesta terça-feira (30) que criará uma comissão específica para avaliar as denúncias de plágio na tese de mestrado de Carlos Alberto Decotelli. 

“A FGV reitera a informação prestada anteriormente de que está apurando os questionamentos referentes à dissertação de mestrado do professor Decotelli”, disse a instituição em nota. “Conforme a praxe do meio acadêmico, a FGV vai criar uma comissão específica para avaliar os fatos.”

Leia também:

FGV diz que Decotelli não foi seu professor efetivo

Carlos Alberto Decotelli confirma saída do Ministério da Educação

O ex-ministro negou as acusações nesta segunda-feira (29), mas disse que pode ter havido “distração”. “Quando você lê muitos livros, você tem de ter uma disciplina mental de escrever, revisar, citar e mencionar. Você fica mencionando, registrando e ponderando. É possível haver distração, sim”, disse. “Hoje tem mecanismo, mas naquela época, pela distração… Não houve plágio. Plágio é ctrl+C e ctrl+V”.

Decotelli entregou sua carta de demissão ao presidente Jair Bolsonaro nesta tarde, cinco dias após ter sido nomeado ministro da Educação. Ele não chegou a ser empossado.

Após a descoberta de várias inconsistências em seu currículo, ele disse à CNN que sua permanência no cargo ficou “inviável”. 

Mais Recentes da CNN