Flávio Bolsonaro tenta recompor com Republicanos, mas atos do presidente travam acordo

Ministro da Cidadania, João Roma, do Republicanos da Bahia, também participou de encontro ocorrido em São Paulo.

Senador Flávio Bolsonaro se reuniu na semana passada com o presidente nacional do Republicanos, Marcos Pereira
Senador Flávio Bolsonaro se reuniu na semana passada com o presidente nacional do Republicanos, Marcos Pereira Pedro França/Agência Senado

Thais Arbex

Ouvir notícia

Filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro (PL) e à frente da coordenação da campanha de reeleição do pai, o senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) se reuniu na semana passada com o presidente nacional do Republicanos, Marcos Pereira, para tentar uma recomposição com o partido. A CNN apurou com pessoas próximas aos dois que o ministro da Cidadania, João Roma, do Republicanos da Bahia, também participou do encontro, que aconteceu em São Paulo.

De acordo com relatos, Flávio disse que entraria em campo para tentar reorganizar as forças partidárias em torno da reeleição de Bolsonaro. A avaliação na direção do Republicanos é a de que, a partir do momento em que o presidente decidiu se filiar ao PL, o próprio mandatário do Palácio do Planalto entrou em campo para inflar a sigla de Valdemar da Costa Neto.

Durante o encontro, ainda segundo relatos feitos à CNN, o presidente do Republicanos disse que deputados acertados para migrarem para a sigla durante a janela partidária passaram a ser assediados pelo Palácio do Planalto em prol do PL.

Ao menos três parlamentares foram acionados pelo próprio presidente da República. O movimento que mais irritou Marcos Pereira, no entanto, foi a tentativa de o PL tirar da sigla um de seus quadros históricos.

Na conversa, o dirigente deixou claro que o Republicanos só tem dois caminhos na mesa: apoiar a reeleição de Bolsonaro ou ficar neutro. Pereira relatou a Flávio que, hoje, tem crescido dentro do partido a adesão à neutralidade na disputa pelo Palácio do Planalto –como mostrou a CNN no início do mês.

A cúpula da sigla tem feito consultas regionais à bancada do partido para medir a temperatura em relação à posição da legenda neste ano.

A CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto pela TV e por nossas plataformas digitais.

Mais Recentes da CNN