Governo do Rio inicia processo para concessão do Complexo Esportivo do Maracanã

Duas comissões foram anunciadas no dia seguinte à aprovação da mudança de nome do estádio

Imagem aérea do complexo do Maracanã, na zona norte do Rio de Janeiro
Imagem aérea do complexo do Maracanã, na zona norte do Rio de Janeiro Foto: Ricardo Moraes - 26.mar.2020/ Reuters

Stéfano Salles, da CNN, no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

 No dia seguinte à aprovação da mudança de nome do Maracanã, de Estádio Jornalista Mário Filho, para Edson Arantes do Nascimento – Rei Pelé, na Alerj, o governador interino Cláudio Castro instituiu nesta terça-feira dois grupos para tratar de assuntos relativos ao equipamento esportivo estadual. Uma Comissão Técnica e outra Especial de Licitação. A medida está no Diário Oficial do Estado, publicado nesta quarta-feira (9). 

De acordo com o decreto, a o grupo técnico terá como objetivo elaborar os estudos e o edital de licitação. Já o outro acompanhará a licitação, do lançamento do edital ao mercado até a assinatura do contrato, “sendo responsável por todos os atos procedimentais inerentes ao processo licitatório”. 

O Complexo Maracanã, que engloba o Estádio Mário Filho, o Ginásio Gilberto Cardoso (Maracanãzinho), o Estádio de Atletismo Célio de Barros e o Parque Aquático Júlio Delamare, está concedido a Flamengo e Fluminense por meio de um Termo de Permissão de Uso (TPU) celebrado entre os clubes e o governo do estado. 

 

A dupla Fla-Flu administra o complexo desde abril de 2019. Desde então, o TPU vem sendo renovado a cada 180 dias, enquanto o estado trabalhava na modelagem de um processo licitatório para conceder o complexo por 35 anos. 

Com relação à mudança de nome do estádio, aprovada em votação única, simbólica, feita em regime de urgência, o governador interino Cláudio Castro ainda não se manifestou. Ele tem 15 dias para aprovar ou vetar a proposta, da qual apenas a bancada do PSOL discordou

Mais Recentes da CNN