Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Haddad: Placar do STF em desoneração mostra que não se pode prejudicar a Previdência

    Ministro disse ainda considerar que o governo mantém o bom relacionamento com o Congresso Nacional

    Declaração de Haddad acontece após críticas de Pacheco no último sábado (27)
    Declaração de Haddad acontece após críticas de Pacheco no último sábado (27) Reprodução/CNN

    Gabriela Pradoda CNN Brasília

    O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, afirmou que o placar do julgamento da desoneração no Supremo Tribunal Federal (STF) mostra a necessidade de “encontrar caminhos” para evitar mais prejuízos à Previdência Social.

    O placar do Supremo [Tribunal Federal] deixa claro que temos que encontrar um caminho para não prejudicar a Previdência. Senão, daqui a três anos, cinco anos, nós vamos ter que fazer outra reforma da Previdência, se não tiver receita. Então, nós temos que ter muita responsabilidade para isso. A receita da Previdência é sagrada, é para pagar os aposentados, não dá para brincar com essas coisas”, afirmou Haddad.

    O julgamento sobre a desoneração da folha dos municípios e de 17 setores da economia está com o placar de 5 a 0 pela inconstitucionalidade da medida. O pedido de vista do ministro do STF, Luiz Fux, interrompeu a análise do caso.

    Mais cedo, o ministro-chefe da Secretaria das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, almoçou com Haddad e disse que vai buscar se reunir com as entidades que representam os municípios para tentar um acordo.

    Haddad comentou ainda que considera que o governo mantém o bom relacionamento com o Congresso Nacional, apesar do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), ter criticado a decisão do Executivo em judicializar a reoneração.

    “Eu não temo [que a judicialização prejudique as pautas do governo no Congresso] e com o Judiciário”, comentou a jornalistas nesta segunda-feira (29).