Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ibaneis pede desculpas por ataques de “terroristas” às sedes dos Poderes em Brasília

    Governador do DF prometeu "todo o efetivo combate" para punir os envolvidos nos atos criminosos realizados neste domingo (8) em Brasília

    Governador do DF, Ibaneis Rocha, se pronuncia sobre ataques às sedes dos Três Poderes
    Governador do DF, Ibaneis Rocha, se pronuncia sobre ataques às sedes dos Três Poderes Reprodução/CNN

    Fábio Munhozda CNN

    Em São Paulo

    Em pronunciamento na noite de domingo (8), antes de ter tido seu afastamento por 90 dias determinado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), pediu desculpas pelos ataques realizados em Brasília contra as sedes dos Três Poderes.

    Ibaneis direcionou os pedidos de desculpas ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), à presidente do Supremo, ministra Rosa Weber, e aos presidentes da Câmara e do Senado, Arthur Lira (PP-AL) e Rodrigo Pacheco (PSD-MG), respectivamente.

    O governador afirmou que os envolvidos nos atos deste domingo são “verdadeiros vândalos, verdadeiros terroristas”, e prometeu “todo o efetivo combate para que sejam punidos”.

    “Brasília é um palco de manifestações pacíficas, onde as pessoas merecem e têm o direito de viver em liberdade. Isso que aconteceu foi inaceitável eu, em momento nenhum, vou admitir”, disse o governador.

    No mesmo pronunciamento, Ibaneis admitiu que não tinha noção da dimensão que poderiam ter as manifestações programadas para este domingo.

    “Nós vínhamos monitorando desde a tarde de ontem, juntamente com o ministro [da Justiça] Flávio Dino, todos esses movimentos que estavam chegando ao DF. Conversamos de ontem para hoje por várias vezes e não acreditávamos em momento nenhum que essas manifestações tomariam as proporções que tomaram.

    No início da madrugada de segunda (9), horas após o pronunciamento de Ibaneis, Alexandre de Moraes determinou o afastamento do governador do DF por 90 dias.

    Para Moraes, o descaso e conivência do ex-Ministro da Justiça e Segurança Pública e, até então, Secretário de Segurança Pública do Distrito Federal, Anderson Torres – cuja responsabilidade está sendo apurada em petição em separado – com qualquer planejamento que garantisse a segurança e a ordem no Distrito Federal, tanto do patrimônio público só não foi mais acintoso do que a conduta dolosamente omissiva do Governador do DF.

    “Absolutamente NADA justifica e existência de acampamentos cheios de terroristas, patrocinados por diversos financiadores e com a complacência de autoridades civis e militares em total subversão ao necessário respeito à Constituição Federal. Absolutamente NADA justifica a omissão e conivência do Secretário de Segurança Pública e do Governador do Distrito Federal com criminosos que, previamente, anunciaram que praticariam atos violentos contra os Poderes constituídos”, escreveu o ministro.